Constelar Home
menu
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 84 :: Junho/2005 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

AS LIDERANÇAS DO MOVIMENTO DOS SEM TERRA

João Pedro Stédile e José Rainha,
as caras do MST

Fernando Fernandes

Dentre as lideranças do Movimento dos Sem Terra, duas figuras se destacam: o capricorniano João Pedro Stédile, que age como mentor intelectual, e o canceriano José Rainha, várias vezes preso e julgado. Seus mapas interagem de forma surpreendente com os mapas do MST e do Brasil.

João Pedro Stédile, o general

Não é por acaso que o economista gaúcho João Pedro Stédile tornou-se o líder mais conhecido do MST. Nascido em Lagoa Vermelha, Rio Grande do Sul, no dia de Natal de 1953, seu mapa apresenta uma impressionante sucessão de interaspectos e paralelismos com o mapa da própria fundação do movimento.

Mapa interno: carta especulativa do MST, segundo proposta de Raul V. Martinez; círculo externo: planetas na data de nascimento de João Pedro Stédile, com posições calculadas para as 12h do dia 25.12.1953 (na falta de dados precisos, foi utilizado o horário-padrão das 12h).

Para começar, Stédile tem o Sol em 3° de Capricórnio, em conjunção com Júpiter e Mercúrio do MST. Tal interaspecto mostra que o MST constitui um espaço apropriado para a liderança e para o carisma pessoal desse homem de formação acadêmica, graduado pela Universidade Católica de Porto Alegre e pós-graduado pela Universidade Autônoma do México.

E mais: o Sol de Stédile está sobre Urano, regente do mapa da Independência do Brasil. Como este Sol ocupa a casa 11 tanto do MST quanto do país, não admira que Stédile seja o porta-voz da insatisfação com o status quo e das reivindicações políticas do movimento. A casa 11, além de ser a dos amigos, projetos e esperanças, é também a das associações por afinidade ideológica, entre elas as que lutam para mudar as condições estabelecidas.

Mas o interaspecto mais impressionante encontra-se sobre o Meio do Céu do MST. Stédile tem simplesmente seu Marte em conjunção simultânea com o Marte do MST e com o Marte do Brasil - o que reforça o aspecto paramilitar das marchas e invasões que preconiza. Verificam-se, complementarmente, as seguintes ativações:

  • Marte de Stédile sobre Plutão do MST;
  • Saturno de Stédile próximo do Saturno do MST (também em Escorpião) e oposto ao Saturno do Brasil;
  • Saturno de Stédile sobre os Martes do Brasil e do MST;
  • Lua de Stédile próxima da Lua do MST - talvez em conjunção, dependendo da hora de nascimento do líder;
  • Vênus e Mercúrio de Stédile sobre Vênus no MST, em Sagitário.

Ou seja: as ativações são tais que permitem descartar qualquer coincidência. Stédile lidera o movimento porque as expectativas, reivindicações e projetos do MST encontram plena ressonância no mapa do homem que o lidera.

José Rainha, o rebelde

Em matéria de 12 de julho de 2003, o Correio Braziliense define José Rainha como um "militante profissional" que "adora uma confusão". Nome mais conhecido da história do MST além do líder João Pedro Stédile, Rainha ganhou notoriedade por suas diversas prisões na região do Pontal do Paranapanema (área de conflitos de terra na fronteira entre São Paulo e Paraná). Diz o Correio Braziliense:

Em abril de 2002, foi preso durante 23 dias por porte de armas. No mesmo ano, de setembro a novembro, ficou novamente detido, dessa vez por vandalismo e formação de quadrilha. Um dos processos mais graves que sofreu foi em 1989, quando respondeu por co-autoria em dois homicídios durante ocupação de uma fazenda no Espírito Santo. (...) Rainha(...) já tomou um tiro nas costas durante ocupação de fazenda em São Paulo. (...) Capixaba, nascido em 4 de julho de 1960, Rainha é militante profissional, nunca trabalhou no campo. O terceiro de uma família de seis filhos só aprendeu a ler aos 16 anos.

O mapa solar de José Rainha, quando aplicado sobre o mapa do MST, também apresenta algumas ativações dignas de nota. A mais evidente é a presença de Marte em Touro (conjunto ao Saturno do Brasil) e oposto aos Martes do Brasil, de Stédile e do MST, todos em Escorpião. Onde os outros mapas apresentam Marte, Rainha tem seu Netuno.

Mapa interno: carta especulativa do MST, segundo proposta de Raul V. Martinez; círculo externo: planetas na data de nascimento de José Rainha, com posições calculadas para as 12h do dia 04.07.1960 (na falta de dados precisos, foi utilizado o horário-padrão das 12h).

A oposição Marte-Netuno de José Rainha é comum em mapas de militantes radicais, fanáticos, às vezes inspirados, às vezes desenvolvendo ações totalmente desfocadas. Não falta charme a este aspecto, já que mostra um forte viés para o sacrifício e a vitimização. José Rainha tornou-se conhecido não exatamente pela qualidade de seu discurso político, mas principalmente pelas diversas prisões e julgamentos que enfrentou - prisões que foram o resultado, diga-se de passagem, de sua insistência na defesa de ações agressivamente radicais.

A maneira como Marte-Netuno de Rainha afetam tensamente os Martes do MST e do Brasil explica porque as ações de José Rainha nem sempre são endossadas pelo movimento. Parte dos simpatizantes do MST acredita que Rainha atropela o processo reivindicatório e contribui para o desgaste da imagem dos Sem Terra. Para outros, mais radicais, Rainha simboliza um modelo de ação direta que deveria ser seguido por toda a militância. Não resta dúvida, porém, de que Rainha incomoda muito as autoridades constituídas: o Marte dele, em Touro, está em conjunção fechada com Saturno do mapa do Brasil, numa clara alusão ao confronto militantes x latifundiários.

Um fato curioso é que José Rainha, cujo Sol está no doméstico signo de Câncer, é um dos poucos líderes dos Sem Terra cuja vida familiar ganhou notoriedade na imprensa. Ninguém vê o capricorniano João Paulo Stédile aparecer na TV acompanhado de esposa ou filhos. Já José Rainha é sempre secundado por sua esposa, Diolinda Alves de Souza, companheira do movimento, com quem tem dois filhos. Nada mais canceriano do que um militante apegado à família, até mesmo quando está na cadeia.

Leia outros artigos de Fernando Fernandes.



Atalhos de Constelar 84 - junho/2005 | Voltar à capa desta edição |

Milosevic, o leão predador | O conflito na Iugoslávia | Milosevic e a limpeza étnica | A guerra do Kosovo |
MST, o céu dos Sem Terra |
Origens e mapa | Confirmando o mapa | Lideranças: Stédile e Rainha |
Ademar Eugênio de Mello | Perfil de um pesquisador |


Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.
Constelar Home Mapas do Brasil Tambores de América Escola Astroletiva