Constelar Home
menu
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 108 :: Junho/2007 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

ENFOQUES DIDÁTICOS

Conceitos de mecânica celeste

Henrique G. Wiederspahn

A maioria dos estudantes e mesmo muitos astrólogos profissionais têm dificuldade para entender os conceitos de mecânica celeste utilizados no levantamento de mapas. Este artigo resume e ilustra os conceitos essenciais.

Esfera Celeste

Trata-se de uma esfera ideal cujo centro se encontra no centro da Terra.

  • O Zênite é encontrado ao traçarmos uma linha imaginária que parte do centro da Terra, passa pelo observador interceptando a Esfera Celeste. Seu oposto é o Nadir.
  • O Horizonte é o círculo máximo que corta a Esfera Celeste, dividindo-a em duas metades iguais. O Horizonte (ou plano do Horizonte) eqüidista do Zênite em 90º.
  • O Pólo Norte Celeste é o ponto da Esfera Celeste interceptado pelo eixo de rotação da Terra. O Pólo Sul é seu oposto.
  • O Equador Celeste é a intersecção da Esfera Celeste com o plano do Equador Terrestre. O Equador eqüidista dos pólos num arco de 90º.

Observações:

  • A distância entre o pólo elevado e o Horizonte, em arco de círculo máximo, é igual ao valor da latitude ( ).
  • O ângulo entre o Horizonte e o Equador Celeste é igual à sua co-latitude (co = 90º - ).

Espaço Local

  • Um Círculo Horário é um círculo máximo que passa pelos pólos Norte e Sul celestes.
  • O Meridiano é um círculo horário que passa pelo Zênite e Nadir e, por conse- qüência, cruza os planos do Equador e do Horizonte. Necessa- riamente, é perpendicular a ambos. O Meridiano corta o plano do Horizonte em dois pontos, um ao Norte e outro ao Sul, opostos entre si.
  • O Ponto Norte sobre o Horizonte é a intersecção do meridiano sobre o lado Norte do Equador. O Ponto Sul é seu oposto.
  • Um Círculo Vertical (ou simplesmente Vertical) cruza ou intercepta o Zênite e igualmente o Horizonte em ângulos retos. O Meridiano é também um Círculo Horário e um Vertical.
  • O 1º Vertical é o Círculo Vertical cujos pólos são os pontos Norte e Sul no Horizonte. Intercepta o Horizonte nos mesmos pontos que o Equador intercepta o Horizonte. Esses pontos correspondem aos pontos Leste e Oeste. Assim, os pontos Leste e Oeste são os pólos do Meridiano.

Observe que o ângulo entre o 1º Vertical e o Equador corresponde à Latitude Geográfica.

O sistema de coordenadas definido pelo Horizonte, Meridiano e 1º Vertical é denominado Espaço Local, porque se mantém invariável com respeito ao observador. É a matriz das Casas, da mesma forma que o Espaço Universal é a matriz dos Signos.

Espaço Universal

A Eclíptica é o círculo máximo que corresponde ao caminho aparente percorrido pelo Sol anualmente em torno da Esfera Celeste.

Os pontos onde a Eclíptica intercepta o Equador são o ponto zero de Áries (quando o Sol cruza o Equador de Norte para Sul) e zero de Libra (quando cruza o Equador de Sul para Norte). O ponto zero de Áries é denominado Ponto Vernal.

O Círculo de Longitude Eclíptica é o círculo máximo que passa pelos pólos da Eclíptica cruzando-a em ângulos retos.

O ângulo entre o Equador Celeste e a Eclíptica corresponde à sua obliqüidade (cerca de 23,5º).

Ascensão Reta e Declinação

No Sistema Equatorial de coordenadas, a posição de um ponto na esfera celeste é determinada pela Ascensão Reta e Declinação.

  • A Ascensão Reta (AR) de um ponto é o arco medido sobre o Equador a partir do ponto vernal até a intersecção com o círculo horário que passa por aquele ponto.
  • O arco medido sobre o círculo horário corresponde à declinação daquele ponto.

Latitude e Longitude Celeste (ou Eclítica)

No Sistema Zodiacal ou Eclíptico de coordenadas, a posição de um mesmo ponto na esfera celeste é determinada pela Longitude e Latitude Eclípticas.

  • A Longitude Eclíptica de um ponto é o arco medido sobre o Equador a partir do ponto vernal (em direção ao Norte do Equador) até a intersecção com o círculo de longitude que passa por aquele ponto.
  • O arco medido sobre o círculo de longitude corresponde à Latitude daquele ponto.

Comente este artigo |Leia comentários de outros leitores



Atalhos de Constelar Edição 112 - outubro/2007 | Voltar à capa desta edição |

Raul V. Martinez - América, o batismo de um novo continente | O Batismo da América | Carta especulativa de Américo Vespúcio |
| A certeza de um novo continente |
Henrique G. Wiederspahn - Sistemas de Casas, um breve comparativo | Os métodos de Campanus e Regiomontanus |
| O método de Placidus e a comparação dos três sistemas |
Henrique G. Wiederspahn - Enfoques didáticos | Conceitos de mecânica celeste |

Edições anteriores:

Raul V. Martinez - Lilith, a Lua Negra | O que é | Aplicação em alguns mapas |
Gregório Pereira de Queiroz
- Astrologia e sentido de realidade | Nem psique nem mundo exterior |
Thiago Veloso -
O significado de Saturno | Significado e ciclo no mapa natal |
Barbara Abramo -
Entendendo Estrelas Fixas | A história | O uso: precessão e mansões lunares |


Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.
Constelar Home Mapas do Brasil Tambores de América Escola Astroletiva