Constelar - Última edição
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 118 :: Abril/2008 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

UM EXERCÍCIO DE RETRO-ASTROLOGIA

Londres - carta especulativa

Raul V. Martinez

É possível deduzir o mapa de uma cidade a partir de fatos históricos ocorridos muitos séculos depois? Raul V. Martinez mostra que sim, resgatando o mapa de Londres a partir dos bombardeios da Alemanha nazista e do grande incêndio de 1666.

O incêndio de Londres, previsto por Lilly com auxílio de sua Chave Secreta da Astrologia, começou no dia 2 de setembro de 1666 (do calendário Juliano), queimando 13.200 casas, 87 igrejas e a Catedral de St. Paul – sem registros de perdas de vidas humanas; conforme Maurice McCann o fogo teve início em torno das 5:26 LMT.

Incêndio de Londres

Grande incêndio de Londres - 2.9.1666 (calendário juliano), 5h26 LMT
Londres, Inglaterra - 000w10, 51n30.

Mesmo o incêndio tendo ocorrido cerca de 15 anos após ter sido previsto em Monarchy or No Monarchy, Lilly foi considerado suspeito de iniciar o fogo, por isso foi intimado a prestar esclarecimentos à Câmara dos Comuns. Depois se soube que tudo começou acidentalmente na padaria de Thomas Farriner (ou Farynor) em Pudding Lane.

Se Lilly não houvesse utilizado a Chave Secreta (como declara em sua autobiografia) para prever o incêndio de Londres, e sim utilizado uma carta astrológica, que necessariamente teria relações adequadas com a carta do incêndio, quais seriam os dados dessa carta válida para Londres? Dificilmente seria uma carta de sua fundação, porque Londres começou a se formar na época da invasão romana, ou talvez antes. Assim, uma carta válida para Londres estaria ligada a fato que a teria mudado profundamente. Talvez quando passou a ter a situação equivalente a de capital do império britânico, quando ao redor do ano 1240, o Rei Henry III passou a morar na Torre de Londres, depois de reformar e ampliar o lugar.

Incêndio de Londres em 1666Quando se procuram correlações entre posições astrológicas dessa época e posições significativas da figura do incêndio de 1666, se constata que, no dia 29 de junho de 1243, Marte e a Lua estiveram na posição de Marte no incêndio – que rege a casa 8, das perdas e transformações. Além disso, Saturno esteve exatamente na posição da Lua do incêndio. Reforçando a importância da Lua, estavam em Câncer o Sol, Júpiter e Mercúrio. Às 10 horas e 11 minutos (LMT), em Londres, o Meio-Céu estava a 17º54’ de Gêmeos (signo de Londres), em quadratura com as posições do Ascendente e do Sol do incêndio.

Londres, carta especulativa

Londres, carta especulativa - 29.06.1243 OS, 10:11:04 LMT - 000w10, 51n30.

A figura especulativa construída com esses dados tem Mercúrio regendo, além do Meio-Céu, o Ascendente a 20º44’ de Virgem. Netuno, não conhecido na época, próximo do Meio-Céu, concorda agora com o ‘fog’ que caracteriza a cidade. Por ser Netuno o regente moderno da casa 7, concorda também com todo tipo de associação de natureza oceânica feita à Inglaterra.

Independência Estados Unidos

Independência dos Estados Unidos - 04.07.1776, 17:10 LMT
Filadélfia - 075w09, 39n57.

Mas essa figura especulativa apresenta outra concordância importante, quando comparada com a carta da Independência Norte-Americana. O Sol da primeira figura está a 13º37’ de Câncer, e o Sol da Independência está a 13º19’ de Câncer; Mercúrio da primeira figura está retrógrado a 24º56’ de Câncer, e Mercúrio da Independência também está retrógrado a 24º12’ de Câncer. Além disso, Júpiter está em Câncer nas duas cartas.

Carta especulativa e ingresso solar de 1666

Considerando a carta especulativa e a de ingresso solar em Áries, em 1666, construída para Londres: o Sol, quando ingressou em Áries, estava em oposição a Marte e a Lua, que transitavam na casa 1 da carta de Londres, próximos do Ascendente e do Nodo Sul. Marte e Lua também estão juntos na carta de Londres.

Retorno Solar Londres 1666

Ingresso solar em Áries - Londres, 20.3.1666, 8h44min31s LMT

Saturno da Carta de Ingresso, a 19º08' de Capricórnio, estava em oposição a Júpiter da carta de Londres, a 19º17'. Onde Júpiter rege a casa 4, ligada às moradias.

  • No ano anterior, em 1665, Londres havia sofrido a epidemia de peste bubônica, que matou cerca de 70.000 pessoas (ou talvez 100.000), da ordem de 20% de sua população. Tragédia que Lilly também havia previsto em outra figura de Monarchy or No Monarchy.

Voltando à Carta de Ingresso. O Ascendente a 11º29’ de Gêmeos estava sobre Vênus da carta de Londres, a 11º31'; e Vênus da Carta de Ingresso, a 20º38’ de Peixes, estava em oposição ao Ascendente da carta de Londres, a 20º44' de Virgem.

Esse envolvimento de ascendentes e de Vênus indicava que algo físico importante poderia acontecer, ligado a significados de Vênus e das casas que Vênus rege na carta de Londres. Por reger a casa 2, dos ganhos da cidade, poderia estar indicando alguma coisa conveniente para a cidade, alguma coisa 'inversa' à destruição, talvez concordando com a posição dos gêmeos em uma das figuras da previsão do incêndio (fig. 05). De fato, com a destruição de construções antigas, foram também destruídas causas e focos de peste, como ratos e sujeira. Essa forma 'inversa' de destruição, que permitia que as pessoas se afastassem das chamas com segurança, certamente levou à construção de novas habitações, em meio mais higiênico e agradável, conforme a natureza de Vênus. Como regente da casa 9, das crenças e igrejas, Vênus estava indicando, além da reconstrução de templos, um possível ganho em religiosidade.

Direções Simbólicas – 1º/ano, na carta de Londres

Quando houve o incêndio haviam transcorrido 423 anos, dois meses e três dias desde a data da carta especulativa de Londres. Assim, subtraindo uma volta, 360º, deve-se considerar, como ângulo de direção para o incêndio, 63º11'. Dessa forma, Lua-Marte, em Escorpião, dirigidos, ficam em oposição a Júpiter-Mercúrio, e o Meio-Céu dirigido fica em quadratura com Marte. Essas direções também eram válidas para o ano anterior, 1665, quando houve a grande epidemia de peste bubônica.

Marte, além de se correlacionar com o incêndio, rege a casa 8 da carta de Londres; Júpiter, regente da casa 4, se correlaciona com moradias, com o fim e com o começo das coisas; a Lua, dispositora do Sol (regente da 12, dos sofrimentos e das infecções), de Júpiter e de Mercúrio (sempre importante na carta de Londres), se correlaciona com povo e, pela proximidade com Marte, com assuntos ligados a esse planeta na figura.

Testando a Carta Especulativa para outros fatos

  • a partir daqui serão consideradas também as posições de Urano, Netuno, Plutão e Éris.
  • para efeito de Direções Simbólicas, envolvendo datas do Calendário Gregoriano, o dia 29 de junho de 1243 do calendário Juliano corresponde ao dia 6 de julho de 1243.

1 - Explosões no metrô de Londres

Atentado ao metrô de Londres

Atentado ao metrô de Londres - 7.7.2005, 8h50 (+01:00)
Londres, Inglaterra - 000w10, 51n30.

No dia 7 de Julho de 2005, por volta das 8:50 (hora local), explosões no metrô de Londres causaram centenas de feridos e 52 mortes. Na figura do atentado, Vênus e Mercúrio, a 11º de Leão, na casa 12 (das coisas e inimigos ocultos) estavam em sextil com Vênus da carta de Londres – regente da casa 9 (o estrangeiro, a influência religiosa) e da casa 2 (dos ganhos) – aspecto que pode ser associado ao sucesso da ação terrorista.

Plutão, regente da 3 (meios de locomoção, deslocamentos próximos, o metrô), retrógrado, estava em oposição fechada a Netuno da carta de Londres – onde Netuno rege a casa 7, dos inimigos declarados.

Netuno, regente da casa 7 da carta de Londres, transitava em quadratura com o Meio-Céu (o poder, o governo) da cidade.

Marte, a violência, na casa 9 (estrangeiro) da carta do atentado, junto do Nodo Lunar Norte, estava em sextil com o Meio-Céu da carta de Londres.

Dias depois, na manhã do dia 22 de julho de 2005, o imigrante brasileiro Jean Charles de Menezes, que trabalhava como eletricista na Inglaterra, é confundido com homem-bomba e morto no metrô de Londres, com oito tiros à queima-roupa, por forças especiais da polícia britânica. A Lua transitava junto de Netuno (engano conveniente aos terroristas), em trígono com Vênus da carta de Londres (regente da casa 9, do estrangeiro); e Vênus transitava o Ascendente do lugar. Marte estava ainda em oposição a Plutão da carta de Londres.

Quando ocorreram os ataques, Londres estava com 762 anos. A direção simbólica correspondente a essa idade é de 42º. Plutão (regente da casa 3, onde estão a Lua e Marte – a morte no metrô), dirigido, passa de 24º56’ de Libra para 6º56’ de Sagitário, em quadratura com Saturno, planeta da casa 12. Vênus, planeta da casa 9, e um dos regentes dessa casa (o outro é Éris), dirigido para essa época, passa para 23º31’ de Câncer, começando a conjunção com Mercúrio da carta de Londres; envolvendo significadores de estrangeiro, de Londres e de transportes. Éris, o outro regente da casa 9 de Londres, dirigido, fica a 5º16’ de Peixes, em oposição a Saturno, seu dispositor. Netuno (engano de autoridades; o planeta está na casa 10), dirigido, fica a 4º51’ de Leão, em oposição a Urano (o eletricista), regente da casa 6 (o trabalhador humilde).

A direção simbólica de 42º foi também válida 360 anos antes de 2005, ou seja, foi válida em 1645 – mas na presença e atuação de outras posições e significadores astrológicos. Por trânsitos, Marte ingressava em Virgem, Júpiter estava no Meio-Céu da carta especulativa, e Mercúrio, Vênus e o Sol em Câncer. Foi uma época em se deram mudanças dramáticas na Inglaterra, como resultado da guerra civil de 1642–49 e da decapitação de Charles I.

2 - Grande ataque da aviação alemã a Londres

A Alemanha acreditava que a destruição de Londres arrasaria o moral do povo e levaria a Inglaterra à capitulação na Segunda Guerra Mundial. A chamada blitz começou a 7 de setembro de 1940, e foi mortalmente eficaz, pois as defesas de Londres e a própria RAF estavam despreparadas. Os ataques aconteciam à noite, e as bombas incendiárias consumiram grande parte de Londres. O bombardeio noturno se repetiria até 3 de novembro, ininterruptamente.

Os ataques começaram com Marte, Sol, Mercúrio e Netuno, em Virgem, no Ascendente da carta de Londres; na noite de 7 de setembro de 1940, Mercúrio esteve em quadratura exata com o Meio-Céu dessa carta. Com Saturno, Júpiter e Urano, todos retrógrados, em Touro, na casa 9 da figura (as grandes explosões que vinham de longe). E Plutão iniciava a oposição a Urano da carta de Londres.

Londres 1940 - BombardeioLondres sob o bombardeio
nazista, 1940.

À idade de Londres nessa época, 697 anos, dois meses e um dia, corresponde o arco de direção simbólica de 337º10’ (11 signos + 7º10’). Vênus, um dos regentes da casa 9, dirigido, estava a 18º41’ de Touro, em oposição à Lua e a Marte de Londres – envolvendo população, destruição e morte (pois Marte rege a casa 8). O Sol, regente da casa 12 (sofrimento), dirigido, estava a 20º47’ de Gêmeos, em quadratura com o Ascendente, a 20º43’ de Virgem. A Lua dirigida está a 24º35’ de Libra, junto de Plutão da carta de Londres.

360 anos antes, quando foram válidas as mesmas direções simbólicas, em 1580, Londres também estava conturbada com a disputa entre Elizabeth I e o Papa Pio V que a tinha excomungado e que dizia ter poder para depô-la e colocar Mary, rainha da Escócia, no trono da Inglaterra. Disputa agravada pelo pequeno terremoto que houve em Londres naquele ano, visto como um sinal de Céu, por católicos e protestantes.

3 - Jack, o Estripador, faz sua primeira vítima

Mary Ann Nichols, a primeira vítima, foi assassinada em torno das 3 horas da madrugada do dia 31 de agosto de 1888 em Londres. Transitavam em Virgem o Sol, Mercúrio e Vênus, envolvendo o Ascendente e formando quadraturas com Vênus, Meio-Céu e Netuno da carta da cidade. A Lua transitava em conjunção com Netuno.

Éris também estava em quadratura com o Meio-Céu da cidade – transitava retrógrado a 18º27’ de Peixes, se opondo ao Ascendente e fazendo quadratura com o Meio-Céu. Por reger Touro, junto com Vênus, rege a casa 9, que é a casa 12 da casa 10; casa 12 do governo (o que os governantes ou autoridades mantém oculto)... – ver texto do autor, publicado em Constelar, sobre Jack, o Estripador.

Londres estava com 645 anos, um mês e vinte e cinco dias de idade; 285º09’ é o ângulo de direção correspondente. Marte, regente da casa 8, dirigido, fica a 5º35’ de Virgem, em conjunção com Saturno da carta de Londres. Saturno, dirigido, fica a 22º02’ de Gêmeos, em conjunção com Netuno. Urano, dirigido, fica a 20º58’ de Escorpião, sobre Marte da carta de Londres.

4 - Tentativa de explosão de carros-bomba em Londres

Na madrugada do dia 29 de junho de 2007 é frustrada pela polícia a explosão do primeiro carro-bomba que terroristas estacionaram em uma das ruas centrais de Londres. No mesmo dia a explosão de outro carro-bomba também foi frustrada na cidade. No dia seguinte, um veículo em chamas explodiu após chocar-se contra a entrada do terminal de passageiros do aeroporto de Glasgow, na Escócia.

Na madrugada do dia 29, Vênus, Saturno e Netuno estavam em quadratura com Marte da carta de Londres, e a Lua transitou, ou transitava, em oposição ao Meio-Céu e a Netuno.

Londres estava com 763 anos, onze meses e 23 dias de idade, que equivalem a 43º59’ para efeito de direção simbólica. Vênus, dirigido a 25º30’ de Câncer, fica em conjunção com Mercúrio e em quadratura com Plutão. Vênus, regente da casa 9, em Gêmeos, em evidência próximo ao Meio-Céu; Mercúrio, a cidade de Londres; Plutão, regente da casa 3, os carros com explosivos. Casa 3, onde estão a Lua e Marte.

A frustração dos ataques - Às 4:10 (é possível que esse seja o horário em que foi frustrada a primeira explosão), Netuno estava sobre o Meio-Céu, e Plutão sobre o Descendente do lugar; onde Netuno pode ser associado à frustração, ao engano, e Plutão, na cúspide da casa 7, aos problemas enfrentados pelos terroristas.

Leia outros artigos de Raul V. Martinez.

Comente este artigo |Leia comentários de outros leitores



Atalhos de Constelar | Voltar à capa desta edição |

Angela Schnoor - Age Point | A técnica do ponto de idade |
Raul V. Martinez - Londres, uma carta especulativa | Um exercício de retro-astrologia |

Edições anteriores:

Marcus Vannuzini - Astrologia & Vocação | As subpersonalidades | Direções vocacionais | Identificação das vocações |
Raul V. Martinez -
Éris e os Graus Árabes | Os graus sensíveis de Libra |
Thiago do Amaral -
Astrologia e Cultura | Sobre a "Ars" e seu estudo |
Carlos Hollanda -
Astrologia e Autoconhecimento | De Ptolomeu ao McDonald's |
Eduardo Loureiro Jr. -
Novas propostas | Astrodramaturgia e o caso Cinderela | Estrutura narrativa e mapa |
Carmen Sampaio - Astrologia e Saúde | Planetas, comportamento e somatização |


Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.