Constelar - Última edição
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 117 :: Março/2008 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

ASTROLOGIA E AUTOCONHECIMENTO

De Ptolomeu ao McDonald's

Carlos Hollanda

A experiência de descrição da personalidade e de autoconhecimento proporcionada pela Astrologia não é um produto acabado, como um lanche que se compra numa rede de fast-food, mas uma construção permanente. Quando mais se dominam as ferramentas da Astrologia, mais abrangente é o escopo de sua utilização.

Publicações astrológicas aludem com freqüência ao fato de a Astrologia ser um instrumento de autoconhecimento. Destarte, os interessados mais afoitos, quando entram num curso de formação, podem perguntar-se quando, afinal de contas, serão descritos seus tipos particulares de personalidade. E não é para menos. A divulgação massiva feita em tantos meios de comunicação coloca a Astrologia como algo extremamente simplório, sem aprofundamento em seus meandros. Não podemos culpar tais meios de comunicação pela superficialidade, pois além de não terem espaço suficiente para tratar o assunto com propriedade, também não são voltados exclusivamente para os interessados em aprofundamento. O que talvez esteja faltando são indicações de que horóscopos e minúsculas dissertações acerca de signos não resumem todo o conhecimento e toda a utilidade deste estudo.

Os clientes e estudantes que já tiveram oportunidade de esmiuçar algumas técnicas astrológicas e de observar sua veracidade em suas próprias vidas compreendem que o processo de autoconhecimento não ocorre de súbito. Não se compra uma percepção mais ampla sobre as várias realidades em que vivemos na banca de jornal, e muito menos isso pode ser obtido sem uma longa e paciente construção, observação e vivência. Autoconhecimento é processo. Não surge completamente num curso ou numa análise de alguns fatores isolados. Não é possível descrever a personalidade numa só tacada ou numa só consulta. Muito depende do próprio cliente, de sua busca pessoal e de seu interesse em extrair do astrólogo indicações sobre aquilo que causa inquietações. E não raro este processo requer uma ou mais consultas pessoais ao astrólogo ou uma série de auto-análises do participante apoiadas por estudos dos símbolos de seu próprio mapa.

A cada época de nossas vidas temos uma visão diferenciada de quem somos graças à capacidade de reflexão adquirida e reforçada ao longo do tempo. Esta reflexão nos permite ter acesso a várias facetas que antes não nos eram perceptíveis, mas que sempre fizeram parte de nós. Por causa de tudo isso, a descrição da personalidade parece ser ininterrupta: qualquer descrição definitiva teria de encaixar o indivíduo num modelo imutável, e sabemos que uma das maiores leis da realidade é o fato de ela ser mutável, impermanente.

A finalidade dos cursos de Astrologia, além de prover o estudante com uma formação bem fundamentada, é demonstrar as ferramentas que permitirão o acesso a tal nível de compreensão, além de explicar como usar essas ferramentas. É dar ao estudante todo um instrumental teórico e prático para que ele comece a desenvolver uma nova visão de mundo e de si mesmo. Observem: descrever a personalidade de cada um a partir da Astrologia requer um enfoque na síntese de todo o mapa, com todas as suas combinações. Este conceito de combinações de fatores no mapa astrológico o estudante desenvolve num processo cumulativo, associando elementos diferentes, ritmos e significados. À medida que se avança no estudo inserem-se outros elementos de combinação (planetas, casas, aspectos, movimento dos planetas etc), e a descrição da personalidade torna-se mais evidente. Mesmo assim, até aquela descrição vai-se aprofundando e tomando um novo colorido cada vez mais abrangente, nunca estacionando no modelo inicial.

A Astrologia não é um instrumento exclusivo para pesquisas psicológicas, embora possa utilizar-se da linguagem desta disciplina para formular suas explicações e orientar o cliente como elemento de apoio a terapias ou a profissionais de Psicologia. Ela será usada também para compreender o ser humano como um todo, física, emocional, psicológica, mental e, dependendo da linha seguinda pelo pesquisador, também espiritualmente. Igualmente, por ser um sistema que se baseia numa teoria de que o "todo está na parte assim como a parte está no todo", o sistema de correlações astrológicas estabelece analogias entre as coisas ao redor e o significado que cada uma dessas coisas tem para o Homem. Desta forma, a Astrologia pode ser aplicada em um sem-número de atividades como elemento de apoio. Áreas tão diversas como recrutamento e seleção de RH e planejamento de campanhas de marketing são outros espaços em que a Astrologia pode verdadeiramente servir como alavanca para melhores desempenhos.

Outro ponto não menos importante é entender que conceitos-chave vistos em jornais e revistas populares são genéricos, isto é, não se referem a descrições de tipos de personalidade individual. Cada pessoa, por assim dizer, é uma síntese destes e de mais uma outra série de conceitos. Assim, é preciso evitar a rotulagem de caráter e as expectativas estereotipadas quanto às atitudes que cada indivíduo supostamente tomaria.

Outros artigos de Carlos Hollanda.

Comente este artigo |Leia comentários de outros leitores



Atalhos de Constelar | Voltar à capa desta edição |

Marcus Vannuzini - Astrologia & Vocação | As subpersonalidades | Direções vocacionais | Identificação das vocações |
Raul V. Martinez -
Éris e os Graus Árabes | Os graus sensíveis de Libra |
Thiago do Amaral -
Astrologia e Cultura | Sobre a "Ars" e seu estudo |
Carlos Hollanda -
Astrologia e Autoconhecimento | De Ptolomeu ao McDonald's |

Edições anteriores:

Carlos Hollanda - O atentado que matou Benazir Bhutto | Sangue no Paquistão | Saturno-Plutão e desigualdades de quatro países |
Eduardo Loureiro Jr. -
Novas propostas | Astrodramaturgia e o caso Cinderela | Estrutura narrativa e mapa |
Raul V. Martinez -
Retificando o mapa do PT | O PT e o mensalão |
Carmen Sampaio -
Astrologia e Saúde | Planetas, comportamento e somatização |


Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.