Constelar Home
menu
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Arquivos de Constelar :: Edição 03 :: Setembro/1998 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

ASTROLOGIA COLETIVA

As perspectivas do fim do milênio

Carlos Hollanda

Em março de 1995, Carlos Hollanda escreveu este artigo, que foi publicado em capítulos por um jornal alternativo de São Paulo e teve, ainda, alguns trechos divulgados pelo jornal carioca Ganesha, apontando possibilidades para o período 1997-2000. Em 1998 Constelar publicou o artigo original na íntegra, aproveitando para acrescentar algumas notas que mostravam a concretização de algumas das previsões apresentadas pelo autor três anos e meio antes.

A conjunção Urano-Netuno e os anos noventa

A conjunção Urano-Netuno dos anos 90 ecoou a mesma conjunção no mapa do Brasil do tempo de Pedro I.

Desde 1990, já estava havendo a conjunção entre Urano e Netuno no signo de Capricórnio. Este aspecto se prolongará até 1997/98. O ano em que a posição dos dois planetas ficou exata foi 1993. Com efeito, as instituições ou estruturas julgadas permanentes ou "sólidas" passaram por uma fase de desmembramento - Netuno desintegra e promove uma alquimia na situação em que estiver - e reforma. Não só na URSS, agora Rússia e CEI, mas também no Brasil, com a queda do governo Collor em 1992. Uma nova Constituição brasileira foi promulgada. No mapa astrológico do Brasil (7.9.1822), Urano e Netuno estão na mesma posição em que na fase de 90 a 97. Estão em Capricórnio e em conjunção. Vale notar que muito do que ocorreu na época da independência - o mapa astrológico de qualquer país é calculado pelo dia de sua independência - ocorre atualmente, de forma, é claro, análoga. Com a eleição de Collor e com os projetos do governo de maior entendimento com outros países, através das importações e exportações e novas relações diplomáticas, vemos muito do que ocorreu na fase de D. Pedro I: o reconhecimento gradativo dos potenciais do povo brasileiro pela comunidade internacional, uma onda de patriotismo maior a cada ano e o afastamento do supremo mandatário.

Na área tecnológica, vemos o surgimento da realidade virtual, que promete ser de grande valia no treinamento para qualquer tipo de situação que envolva periculosidade, sem contar com as experiências fantásticas nos video-games. Netuno lida com a imaginação e as experiências místicas ou com realidades não físicas. Capricórnio rege a chamada realidade concreta. Urano rege os avanços tecnológicos e qualquer tipo de aceleração do desenvolvimento humano. A realidade virtual seria uma combinação destes 3 fatores e, no futuro, é provável que, além de os equipamentos multimídia invadirem os lares, grande parte de nossas vidas, incluindo nossos vícios, estejam vinculados a esta nova esfera de experiências virtuais quase ilimitadas.

As tendências da informática manifestam o comportamento da Era de Aquário. Ao mesmo tempo em que deixam de existir gradativamente as personalidades dominadoras, a multimídia e a rede de interação internacional, Internet - criada na década de 60, durante a conjunção de Urano e Plutão - proporcionam a cada indivíduo isolado a possibilidade de interferir ativamente nos assuntos mundiais. Lembrar que Urano faz "evoluir" aquilo que toca. Com a Internet, cada um poderá se tornar conhecido mediante a expressão de suas opiniões em uma destas redes. [1] A aldeia global da Era de Aquário está se tornando realidade. Por outro lado, as questões pedagógicas serão de suma importância, visto que, em contrapartida ao arquétipo intelectual de Aquário, Leão lida com a criatividade e com o aspecto divertido da educação. Ir à escola ou aprender sob a supervisão de programas interativos de computador deverá ser igualmente interessante.

Plutão em Sagitário e Urano em Aquário

1995 começa com a entrada de Plutão em Sagitário, signo em que este planeta permanecerá pelos próximos 13 anos. Como Sagitário regula a filosofia, a religião, o ensino superior, os modismos, as culturas estrangeiras, as grandes viagens e o sistema de leis e códigos, podemos esperar profundas alterações no cerne destes esquemas. Alguns conflitos ideológicos tenderão a ser evidenciados e o controle abusivo das mentalidades através das concepções ético-religiosas entra em crise. Uma busca desenfreada por verdades espirituais ou por garantir quem está "certo ou errado" irá causar mal estar em muitas mentes de pensamento ortodoxo. Será importantíssimo investigar cada crença e sua validade. A fé cega poderá gerar problemas de ordem política. A disseminação de imigrantes e/ou refugiados pelos países de todo o mundo se intensificará.

Em termos tecnológicos, as viagens longas - Sagitário - podem estar relacionadas com uma antecipação da chegada a Marte de naves tripuladas ou até com a construção de bases na Lua. Os cientistas estipularam um prazo que tem a possibilidade de ser encurtado, no que tange a estas viagens. A tendência se fortifica no evento de entrada definitiva de Urano em Aquário - este planeta estará neste signo já em 95, mas retrogradará e depois reassumirá movimento direto, voltando a Aquário a partir de 13.01.96. Urano permanecerá em Aquário até março de 2003.

Netuno promove uma difusão dos ideais mais profundos da humanidade ao entrar definitivamente também em Aquário em novembro de 98. As fronteiras lingüísticas poderão ser reduzidas. Os problemas com a obtenção de energia motriz - petróleo - levarão o mundo à utilização de formas alternativas de energia. As máquinas - muitas delas - poderão estar sendo movidas principalmente por energia solar. Outras formas de extração de combustíveis não poluentes e de elementos que propagam energia estarão em voga e poderão substituir boa parte da produção de petróleo.

A energia atômica tende, sem dúvida, a ser mais utilizada, porém corre-se o risco de grande parcela da população se opor ao seu uso. Talvez venhamos a empregar outra fonte de energia ainda não descoberta pelos cientistas e que viria a eliminar os problemas do risco da contaminação e da localização de depósitos radiativos, típicos da energia nuclear.

Touro e a economia mundial no fim do milênio

A data exata da nova conjunção Júpiter/Saturno será 29/05/2000, no signo de Touro. Todavia, iremos perceber seus efeitos desde 1998/1999, quando estes planetas estiverem bem próximos um do outro, não apenas por proximidade longitudinal, mas também latitudinal. Estarão quase perfeitamente no mesmo ponto no céu, com diferença de apenas 1.7 grau - Júpiter a 17°39' Norte e Saturno a 16°32' Norte - em 1999 esta diferença será zero.

A destruição das torres gêmeas de Nova Iorque marcou a emergência da onda de fanatismo que Hollanda previu em 1995 para a passagem de Plutão em Sagitário.

É de se esperar grande concentração das atenções mundiais nas transformações econômicas - Touro - sobretudo porque estarão se consolidando, e se ampliando, as zonas de livre comércio e livre trânsito de mercadorias e indivíduos entre os países de todo o planeta - Mercado Comum Europeu, Mercosul, Nafta etc. [2] Júpiter forçará uma abertura maior, tanto no que diz respeito à rotatividade da produção mundial - Touro - como na diversificação cultural. Saturno, realizará o papel de concretizador destas tarefas através dos novos estatutos. A fluência jupiteriana necessitará da praticidade saturnina. Há a possibilidade de ser um período de relativamente boa distribuição de riquezas entre os países. Entretanto, o lado negativo do arquétipo de Touro também pode ser expandido por Júpiter e cristalizado por Saturno. Todas as formas de mesquinharias poderão vir à tona. O egoísmo da espécie humana poderá estar mais evidente que o normal, na forma de nacionalismo exacerbado e da rejeição de novos valores, raças, crenças e posse territorial. O desejo de expansão rápida pode desconsiderar os aspectos indolentes e pragmáticos do ser humano. Fanatismos de toda espécie - Plutão em Sagitário - podem quebrar regras e costumes preciosos que necessitariam de tempo para serem transformados.

Na educação, Urano e Netuno em Aquário e em sextil com Plutão em Sagitário - desde 1998 - promoverão maior flexibilidade, possibilitando às classes menos abastadas um alcance de níveis escolares melhores. Esta alteração se dará sobretudo no ensino superior, através de formas alternativas - e talvez gratuitas - de curso superior. Poderá haver uma disseminação de universidades livres, não reconhecidas pelos governos, forçando os mesmos a uma reavaliação neste campo. Os dogmas da ciência ortodoxa tendem a ser quebrados pelos próprios acadêmicos, principalmente os mais jovens e mais sensíveis. A metafísica e as artes esotéricas serão encaradas com maior seriedade pelo público e pelos eruditos. Estudos mais aprofundados dos fenômenos mediúnicos por instituições aceitas na comunidade ampliarão o escopo da ciência e iniciar-se-á uma época de revelações paracientíficas de grande importância na resolução de problemas até então não solucionados.

O ponto em que há a possibilidade de maiores crises é o dia 11 de agosto de 1999 - Não quer dizer que tudo vai explodir, mas, quanto mais esta data estiver próxima, maior será a probabilidade de haver diferenças ou reajustes entre a raça humana. Um mapa astrológico montado para este dia revela um aspecto chamado de "Grande Quadratura" pelos astrólogos. Esta aspectação ocorrerá nos signos fixos - Touro, Leão, Escorpião e Aquário. Júpiter e Saturno juntos em Touro, o Sol e Lua - nova - em Leão, Marte em Escorpião, Urano e Netuno juntos em Aquário. Além da conjunção de Júpiter e Saturno, que em si já revela tensão, a quadratura envolvendo estes quatro signos agita poderosamente a psique coletiva em seu reservatório de energia. Edgar Cayce, quanto a este período, fala sobre o reaparecimento do continente de Atlântida e de terremotos que alterariam toda a crosta terrestre. É possível que estas citações sejam simbólicas. Talvez não. Evidentemente ninguém tem certeza.

O eixo Touro/Escorpião estaria ligado ao poderio econômico em profunda transformação. O eixo Leão/Aquário, às movimentações coletivas em busca de individualidade, como se cada indivíduo procurasse tornar-se independente, sem paternalismos estatais ou religiosos. A "numerização" do ente humano pode torná-lo incapaz de criar ou deixá-lo profundamente insatisfeito em ser um monte de caracteres em uma tela de computador, provocando rebeliões declaradas ou auto-anulação.

Brasil: sobrevivendo à tempestade



Atalhos de Constelar 03 - setembro/1998

Constelar 03 | Voltar à capa desta edição |

Os ciclos Júpiter-Saturno e Urano-Plutão no século XX | Júpiter-Saturno em signos de Terra | Anos 60 e anos 80 |
As perspectivas do fim do milênio | A conjunção Urano-Netuno e os anos noventa | Brasil: sobrevivendo à tempestade |
Gêmeos, signo de exaltação de Plutão | Tabela das regências e exaltações | Planetas hipotéticos transplutonianos |
Entendendo Estrelas Fixas | A história | O uso |


Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.
Constelar Home Mapas do Brasil Tambores de América Escola Astroletiva