Revista Constelar Revista Constelar

 

O deputado e presidente do Vasco Eurico Miranda

 
 

 

ASTROLOGIA COLETIVA
Vasco: da paixão ao pânico

Fernando Fernandes
Início | Parte 3

Eurico Miranda, o vilão da história

Todas as decisões polêmicas que resultaram nos graves incidentes no estádio de São Januário foram tomadas por Eurico Miranda, deputado federal e presidente eleito do Vasco, clube em que já impera há mais de uma década. Eurico é uma figura truculenta, polêmica, antipatizada por todos os adversários e detestada até por significativa parcela da própria torcida vascaína. Sua data de nascimento, que aqui consideraremos com reservas, parece ser 7 de junho de 1944: sabe-se que seu aniversário é no dia 7 de junho, segundo informação do site da Câmara dos Deputados; e, segundo jornais cariocas, Eurico comemorou 56 anos no ano 2000. Mesmo com dados tão esparsos, tentemos uma análise sumária de sua carta solar.

Quatro planetas estão em Gêmeos, e outros três encontram-se em Leão. Há uma quadratura T unindo Saturno em Gêmeos, Netuno em Libra e Lua em Sagitário. Mercúrio em Touro é o único planeta em signo feminino. A combinação Fogo-Ar e a absoluta ausência de fatores no elemento Água fazem de Eurico um tipo extrovertido, tagarela, fanfarrão, mas de sensibilidade um tanto tosca e pouco apto a lidar com a dimensão emocional. O estilo exagerado e desabrido no falar pode ser explicado pela quadratura Mercúrio-Júpiter, enquanto a conjunção Marte-Plutão em Escorpião garante a conhecida dose de agressividade.

Eurico Miranda - carta solar - 7.6.1944, horário e local não conhecidos (carta levantada para o Rio de Janeiro, às 12h).

O mapa de Eurico corresponde a um modelo de distribuição planetária chamado leque: nove planetas estão contidos dentro de um trígono (de Mercúrio a Netuno) enquanto o último domina os dois terços restantes da carta, formando oposição com a área ocupada. Planetas nesta condição tendem a exercer um papel dominante na vida do nativo, funcionando como uma espécie de alavanca que imprime movimento a todo o restante da carta. No caso de Eurico, a alavanca é simbolizada pela Lua em Sagitário em aspecto tenso com Netuno e Saturno. É uma configuração difícil, que costuma trazer à luz sentimentos de inferioridade, tendências depressivas e uma atitude de defesa frente ao mundo. Talvez Eurico Miranda seja truculento e espalha-brasas como forma de supercompensar a sensação de insegurança interior. É o que poderia explicar seu comportamento de déspota, a ponto de punir jogadores que ousam dar entrevistas à imprensa e de desafiar a lei, proibindo a entrada no clube de jornalistas e radialistas munidos de mandados judiciais.

Um dado revelador é que o Sol de Eurico Miranda, por volta de 16° de Gêmeos, está em conjunção com o Plutão da carta radical do Vasco, um interaspecto que remete diretamente à questão da manipulação do poder e do jogo de vale-tudo. A sinergia entre o clube e seu presidente dá a este a fonte de poder para impor-se de forma dura e autocrática, numa administração em que é a única voz de comando. Eurico consegue no "tapetão" vantagens importantes para o Vasco, mas também prejudica sobremaneira o clube com ataques de fanfarronice e súbitas mudanças de humor, demitindo técnicos e jogadores ao seu bel-prazer. Neste sentido, simboliza os aspectos mais negativos de Gêmeos: tagarelice exagerada, impaciência, instabilidade e negação dos valores de ética (por oposição a Sagitário).

O Sol de Eurico Miranda está também em quadratura com Plutão no Meio-Céu do mapa da fundação do Rio de Janeiro, mostrando que a conotação plutoniana colore também sua atuação como homem público e deputado federal. Nos últimos meses de 2000, aliás, Eurico ganhou as manchetes por tentar, sistematicamente, obstruir os trabalhos das CPIs do Futebol na Câmara e no Senado. Sua recente agressão verbal ao governador Garotinho também tem justificativa astrológica, pois o Sol de Eurico está em quadratura com o Marte do governador, um interaspecto de competição e agressividade.

Porém, o Clube de Regatas Vasco da Gama está muito longe de ser apenas o campo de manobra dos desvarios de seu atual presidente. A história do clube é uma das mais belas páginas do processo de integração social e racial da sociedade carioca e da eterna luta contra a intolerância e o preconceito. Vamos a ela no próximo artigo.

Leia também:

Vasco, a nau das três raças


Anterior | Próxima | Principal | Índices

© 1998-2002 Terra do Juremá Comunicação Ltda.