Revista Constelar Revista Constelar

 

 

 
 
 
CONDOLEEZA RICE ENFRENTA O MACACO LOUCO

A Menina Superpoderosa
que comanda a América

Fernando Fernandes

 

A América de George Bush como uma superpotência paranóica, sempre em guarda contra inimigos reais ou imaginários, já estava prefigurada no mapa de estréia do desenho animado As Meninas Superpoderosas, de 1998. As três heroínas do jardim de infância permitem também lançar luz sobre a personalidade e as motivações de Condoleezza Rice, mais poderosa auxiliar do presidente.

A arte - mesmo em suas manifestações mais óbvias e previsíveis - tem a capacidade de antecipar processos sociais que muitas vezes ainda sequer ganharam qualquer outro canal de expressão. Antes de eclodir no plano da manifestação visível, necessidades e expectativas coletivas emergem no imaginário, revelando-se aqui ou ali na pele de um personagem de ficção, na temática de um filme de sucesso, nos trejeitos de um herói das histórias em quadrinhos.

O processo hoje vivido pelos Estados Unidos, país em constante estado de guerra desde 2001, parecia difícil de antever durante os anos do governo de Bill Clinton e suas alegres estagiárias. Mas os sinais estavam todos lá. Agora George W. Bush entra em seu segundo mandato sob um clima de sombrias expectativas. E muitas das iniciativas da administração Bush estarão centralizadas nas mãos da nova Secretária de Estado, Condoleeza Rice. Uma forma de compreendê-la é analisar seu mapa de nascimento. Mas, para entender exatamente o contexto que fez com que uma mulher como Condoleeza chegasse tão alto e tão longe, a melhor resposta pode estar nos desenhos animados que nossas crianças assistem.

O mapa de Condoleeza

Condoleeza Rice, a toda-poderosa Secretária de Estado do segundo mandato de George W. Bush, nasceu no dia 14 de novembro de 1954, às 11h30, em Birmingham, Alabama. Sua família, de origem pobre e enfrentando um ambiente hostil, supervalorizava a educação como alavanca de ascensão social. Assim, Condoleeza foi estimulada desde cedo a dedicar-se aos estudos. A influência familiar ajuda a compreender por que ela cumpriu uma brilhante carreira acadêmica, tornando-se uma especialista em ciências políticas. Condoleeza dedicou-se em especial ao estudo de assuntos soviéticos, chegando a dominar a língua russa. Na adolescência já era uma ávida leitora de bons textos além de razoável instrumentista, a ponto de ter pensado seriamente em tornar-se uma pianista profissional. Seu nome, aliás, deriva da expressão da linguagem musical con dolcezza, ou seja, com doçura.

Condoleeza Rice, 14.11.1954, 11h30 (CST) - Birmingham, Alabama - 33n31, 86w48.

Condoleeza jamais se casou, se bem que tenha chegado a ficar noiva de um jogador de futebol. Aos 26 anos já acumulara um título de mestre e outro de doutora, o que a credenciou a dar aulas na Universidade de Stanford. Em pouco tempo galgou diversas posições na estrutura universitária, até chamar a atenção de um dos conselheiros do ex-presidente George Bush (pai do presidente atual). Assim, em 1989 ela passou a integrar o staff presidencial. Daí em diante a história é conhecida: sempre ligada ao clã dos Bush, ela foi nomeada por Bush filho em 22 de janeiro de 2001 para o cargo de conselheira para assuntos de segurança nacional. Após o atentado terrorista de 11 de setembro de 2001 sua figura tornou-se bastante conhecida, ganhando cada vez mais espaço junto ao presidente.

Em 16 de novembro de 2004, já reeleito, o presidente indicou-a como substituta de Colin Powell à frente da Secretaria de Estado. Três dias depois Condoleeza teve de submeter-se a uma intervenção cirúrgica para a retirada de tumores benignos no útero. A posse solene (com juramento) no novo cargo deu-se apenas em 26 de janeiro de 2005, numa cerimônia fechada, e repetiu-se dois dias depois, numa cerimônia pública. Trata-se da primeira mulher negra a ocupar posto tão elevado.

Condy Rice (como é conhecida na imprensa americana) tem o Meio-Céu em Escorpião, em conjunção com Sol e Vênus e em quadratura com Marte na 1 em Aquário. Saturno na 9, também em Escorpião, também participa do quadro de aspectações tensas. Sem dúvida é o mapa de uma mulher dura, controladora e controlada, autodisciplinada e fortemente voltada para a vida pública. Trata-se de uma workaholic, com 5 planetas em casas de Terra (a sexta, da rotina laboral, e a décima, da carreira) e uma forte necessidade de gastar energias em atividades produtivas. Seus interesses intelectuais estão muito voltados para questões de política externa e de conflitos culturais, o que pode ser observado pela presença de Mercúrio-Netuno na 9 em quadratura com os planetas da casa 6. Além do mais, Júpiter, planeta mais angular do mapa, é também um significador natural de assuntos estrangeiros.

Além da quadratura com Marte, a conjunção Sol-Vênus forma uma outra quadratura, ainda mais dramática, com Plutão na casa 7. É digno de nota, aliás, o Sol em Escorpião recebendo simultaneamente a quadratura dos dois regentes deste signo, além de estar conjunto a uma Vênus em exílio. Toda a configuração envolvendo Plutão, Marte, Sol e Vênus ajuda a entender por que Condoleeza - uma mulher considerada atraente - abriu mão de uma vida pessoal mais rica para dedicar-se exclusivamente às grandes questões da administração pública. A configuração fala de gosto pelo poder e de vontade férrea, além de uma grande dureza para com os próprios sentimentos (especialmente por causa da quadratura Plutão-Vênus). É, enfim, uma guerreira em pele de mulher, e uma guerreira que pode ser absolutamente impessoal (Sol-Plutão, Marte-Saturno) caso considere que as circunstâncias assim o exijam.

Ao tomar posse como Secretária de Estado, Condoleeza tinha seu Marte progredido em 21°55 de Peixes, formando trígono com o Sol natal. Saturno em trânsito, simultaneamente, formava trígonos ao Sol, a Vênus e ao Meio-Céu. Outro trânsito importante era o de Netuno sobre Marte na casa 1, lembrando que o Netuno natal está na casa 9, significadora de culturas distantes e países estrangeiros. Os planetas envolvidos falam, portanto, de uma pessoa que vive um momento de aumento das responsabilidades pessoais e da carga de trabalho (Saturno-Sol), ao mesmo tempo em que amplia o horizonte do próprio poder, vinculado a questões militares e a assuntos exteriores.

Por que os Estados Unidos estão entregando tanto poder nas mãos dessa mulher que carrega as marcas de Marte e Plutão? Docinho, Lindinha e Florzinha provavelmente têm a chave da resposta...

Os bebês de proveta de um estranho casal

Atalhos de Constelar 81 - março/2005

A Menina Superpoderosa que comanda a América | O mapa de Condoleeza Rice | Docinho, Florzinha e Lindinha: bebês de proveta de um estranho casal | Uma versão moderna das Eríneas | Condoleeza x Superpoderosas |
Batman, o Cavaleiro das Trevas do Zodíaco | As origens | Robin e os vilões | O sádico palhaço Coringa | O Batman de 1939 | O eterno retorno do reprimido |
O desafio da retificação | Cinco hipóteses | O coletivo em 2005 | Júpiter e Saturno mudando de signo
Rio Constelar | Cursos ao vivo no Rio |
Astroletiva | Programação de cursos online de março |


Anterior | Próxima | Sumário desta edição | Índices

© 1998-2004 Terra do Juremá Comunicação Ltda.