Revista Constelar Revista Constelar

 

 

 
 
 
ASTROLOGIA COMPORTAMENTAL

O complicado dicionário amoroso
dos filhos de Vênus-Saturno

Alexey Dodsworth

 

Portinari parece ter captado em seus impactantes quadros sobre o sofrimento dos retirantes da seca algo do clima que pode acompanhar um aspecto tenso Vênus-Saturno.

Aspectos tensos Vênus-Saturno costumam estar presentes em mapas de pessoas com vida afetiva insatisfatória ou decididamente dramática. Contudo, não se trata de uma contingência externa, mas sim de um processo de auto-sabotagem, em que a pessoa não se permite ser amada. Entenda por quê.

"A arte do amor é, em grande parte, a arte da paciência"
(Albert Ellis, psicólogo)

Ângulos entre os planetas Vênus e Saturno são alguns dos mais profundos e difíceis que um tema astrológico pode apresentar. Quando em mapas de pessoas que não se motivam para o autoconhecimento, as implicações resultantes dos circuitos Vênus-Saturno podem ser grande fonte de sofrimento cíclico, cuja base é a rima desagradável que a pessoa insiste em fazer com as palavras amor e dor. Entretanto, sob outro ponto de vista, pessoas com estes aspectos são as mais capazes de compreender o verdadeiro significado da palavra "amor", com todas as implicações de auto-doação que esta curta e poderosa palavra sintetiza. O que podemos inferir, em interações Vênus-Saturno, é que a maturidade (Saturno) melhora em muito as vivências amorosas (Vênus) do indivíduo, e por mais que o termo maturidade seja um tanto quanto subjetivo, no que diz respeito a Saturno ele envolve - na prática - um certo avançar da idade.

A primeira coisa que podemos notar num indivíduo Vênus-Saturno é uma dificuldade em viver o amor saudavelmente, uma vez que a pessoa acostumou-se a recolher-se por trás de poderosas defesas. E é bastante comum encontrarmos, na história de vida deste indivíduo, um primeiro fracasso ou rejeição amorosa que traumatiza mais do que o esperado, marcando a psique de uma forma que matiza todas as suas relações futuras. Esta "primeira rejeição" termina funcionando como um bode expiatório que a pessoa usa como justificativa para todo o seu comportamento maniacamente desconfiado, do estilo que "cata cabelo em ovo", como se diz no jargão popular. A compulsão vênus-saturnina para ficar pensando a respeito da relação e querer discuti-la infindavelmente é bem conhecida pelos pesquisadores astrológicos, e termina sendo justamente este comportamento o que cansa as pessoas, levando o indivíduo Vênus-Saturno a terminar atraindo para si aquilo que ele mais teme e que tanto o fragiliza: ser rejeitado.

O profundo sentimento de rejeição que existe na base estrutural da alma vênus-saturnina tem supostamente como origem psicológica um ambiente familiar algo "frio", em que um ou ambos os pais não deram à criança o amor necessário para que ela se sentisse confiante de seu valor no mundo. É muito comum que pessoas com este aspecto tenham sido "amadas" por seus pais apenas porque eram filhas deles, ou seja, um amor condicionado ao sangue, e não um amor genuíno pelas peculiaridades da identidade da criança. Fica patente, de uma forma ou de outra, que, se aquelas pessoas não fossem parentes, provavelmente não seriam amigas. Assim sendo, a espécie de "amor" que é vivenciada neste tipo de relação parece mais um ato de resignação por parte do pai ou mãe que não vê escolha a não ser amar seu filho, e isso é percebido pela criança de uma maneira bastante clara. Desta forma, estabelece-se a base para um futuro sentimento de desconfiança em relação ao amor, que deixa de ser entendido como algo prazeroso, para ser visto como algo que gera dor, ou que está submetido a algum "interesse" da parte do outro. Uma vez que a pessoa continuamente espera que será abandonada, termina atraindo para si situações que confirmam esta sua idéia fixa.

O outro lado da moeda, que poucos astrólogos salientam, é que é interessante, e que sou mais inclinado a aceitar. Fala-se muito do fato da criança Vênus-Saturno não ter recebido suficiente e genuíno amor por parte de um dos pais, e com este texto tende-se a enfatizar a questão da "culpa parental" sobre os problemas afetivos do indivíduo. Mas pouco se fala a respeito do fato do quanto é difícil amar uma pessoa Vênus-Saturno, mesmo quando ela é criança, uma vez que ela mesma não se permite ser amada. Não é apenas uma questão de não ter "recebido" afeto. É, acima de tudo, uma questão do ser que cria couraças em torno de si, de modo que provavelmente constrangia um ou ambos os pais, quando estes tentavam dar-lhe afeto. Pois, de forma mais ou menos intensa, a depender de cada caso, é muito difícil amar alguém que rechaça ou duvida do ser amor, seja a pessoa criança ou adulta.

Por que não se permitir amar?

O mito de Orfeu e Eurídice
A compulsão de remoer o passado
Aforismos Vênus-Saturno
"Nunca vi alguém mais lindo em minha vida!"


Anterior | Próxima | Sumário desta edição | Índices

© 1998-2004 Terra do Juremá Comunicação Ltda.