Revista Constelar Revista Constelar

 

 

 
 
 
A POLÊMICA DO MAPA DO GRITO DO IPIRANGA

Urano chegou ao Ascendente?

Raul V. Martinez

 

Verificar com cuidado os acontecimentos deste ano pode ser decisivo para retificar o horário em que Pedro I deu o Grito do Ipiranga.

2001 ou 2002: qual o ano mais uraniano para o Brasil?

Introdução da Equipe de Constelar

O ano de 2002, especialmente em seu primeiro semestre, permitirá aos astrólogos brasileiros um precioso exercício de retificação do horário do mapa do nascimento do país independente. Até hoje não existe consenso sobre qual seria o horário correto da proclamação da Independência, sendo que as alternativas variam das 15h45m48s (lembrando que falamos sempre de hora local), com Ascendente em 17º de Aquário (horário retificado proposto por Danton de Souza em seu livro Predições Astrológicas, de 1982) a horários posteriores às 17h, que deixariam o Ascendente da carta nacional em Peixes. Esta, por exemplo, é a tese defendida por Assuramaya, do Rio de Janeiro, que ainda nos anos setenta foi um dos primeiros astrólogos a publicar em livro uma análise - bem sucinta, aliás - da carta da Independência.

Entre estes dois extremos, há dois mapas que merecem a preferência da maioria dos pesquisadores: um deles, calculado para as 16h14m22s (horário retificado proposto por Hanna Opitz e por Antonio Facciollo), teria o Ascendente em 23º38' de Aquário e o Meio-Céu em 22º18' de Escorpião. O outro horário é o das 16h30, defendido, entre outros, por Barbara Abramo, Raul V. Martinez, Antonio Carlos Siqueira Harres e por toda a equipe de Constelar. Neste caso, o Ascendente do país estaria por volta de 27 graus de Aquário.

Urano, regente moderno de Aquário e, conseqüentemente, planeta significador do Brasil, está em Aquário desde alguns anos e estaria agora cruzando o Ascendente do mapa calculado para as 16h30. Para os defensores do horário das 16h14, esta conjunção já teria ocorrido em 2001, estando exata num período em que efetivamente o país passou por algumas sacudidelas: a guerra comercial com o Canadá (Embraer x Bombardier), as acusações de um possível surto do mal da vaca louca entre o gado brasileiro e toda a agitação política trazida com as revelações do escândalo do Senado, envolvendo os senadores Antonio Carlos Magalhães e José Roberto Arruda (ambos perderam o mandato). Nessa mesma época também ocorreu o afundamento da plataforma P-36, da Petrobras.
A que horas, exatamente, Pedro I gritou o famoso "Independência ou Morte"?

Se o trânsito exato for em 2002, Urano no Ascendente do Brasil coincide com a escalada da violência urbana em São Paulo, com escândalos na SUDAM envolvendo Roseana Sarney, candidata à presidência da República, com a "separação amigável" entre o PSDB e o PFL e com tudo o mais que ainda virá pela frente na campanha eleitoral para a presidência.

Trata-se de uma boa oportunidade para testar os dois horários mais utilizados para o mapa da Independência. A prevalecer o das 16h14, o auge das ocorrências uranianas já passou. Mas, a prevalecer o das 16h30, os meses mais propensos a acontecimentos súbitos, agitações, terremotos sociais e tudo o mais que caracteriza a turbulência uraniana são exatamente os que estamos vivendo neste outuno de 2002.

O tempo nos dirá quem tem razão. Enquanto isso, Raul V. Martinez agrega novos dados históricos para confirmar a tese do horário das 16h30, como veremos a seguir. Do ponto de vista factual, uma declaração da independência proclamada às 16h30 LMT daquele distante 7 de setembro parece cada vez mais bem embasada pelas evidências.

Raul V. Martinez reconstitui passo a passo a Proclamação da Independência


Anterior | Próxima | Sumário desta edição | Índices

© 1998-2004 Terra do Juremá Comunicação Ltda.