Revista Constelar Revista Constelar

 

 

 
 
 
MARTE: SEIS DIAS DE AMOR E GUERRA

A guerra do desejo e a hora do sexo

Barbara Abramo & Valdenir Benedetti

 

Chegamos enfim à mais antiga das guerras: a da conquista amorosa e sexual. Numa animada discussão, Barbara Abramo e Valdenir Benedetti passam a limpo o papel de Marte e Vênus para homens e mulheres e ainda discutem a relação de Marte com o aspecto do quincúncio e com a (falta de) disposição para a mudança.

VALDENIR BENEDETTI:

Ao contrário dos homens, de quem é cobrado o tempo todo pelo sistema a manifestação do Marte, especialmente sob a forma de virilidade e expressão de masculinidade (daí, o estado cósmico e terrestre de Marte adquirir um peso enorme nas expectativas masculinas), nas mulheres, em geral, não existe esta cobrança. Portanto, a expectativa delas em relação à manifestação de Marte é diferente (estou excluindo o estado tonal geral e outras funções marcianas, que neste caso, costumam funcionar mais ou menos igual para ambos os sexos).

Nas mulheres, Marte representa muito mais um modelo projetivo, ou seja, elas projetam sua expectativa pessoal das funções marcianas nos homens, e de acordo com o estado cósmico de Marte, elas vão-se identificar com homens mais ou menos cafajestes, mais ou menos mansos etc.

Eu diria que Marte no mapa de uma mulher descreve com bastante precisão o que ela espera de um homem, no comportamento, no corpo, no sexo. As conclusões passam a ser simples, no caso. Um Marte em mau estado cósmico provoca a atração pelo inadequado, pelo exagerado, pelo distorcido, pelo excêntrico, ou coisas do gênero. Um Marte em bom estado cósmico costuma representar a expectativa de alguém exato, preciso, correto, superior e até perfeito.

Qual dos dois provoca maiores queixas e insatisfações? Não tenho a menor idéia. A insatisfação, que é uma manifestação característica do Desejo, é uma prerrogativa feminina, pois o desejo é feminino (nos homens, a insatisfação é normalmente relacionada com sua parte feminina, mas isto é um outro assunto).

Com a palavra, as mulheres!!

BARBARA ABRAMO:

Será que todo Marte pra mulher tem a ver com o que ela espera de um homem? Hum... não sei não, não sinto isso e nem percebo isso no meu trabalho. Percebo, pra resumir, que:

-as mulheres usam o Marte, como qualquer um, pra perseguir seus objetivos conscientes ou inconscientes de autopromoção na vida pessoal e na carreira;

-as mulheres atacam a presa - sexualmente falando - dependendo do Marte.

VALDENIR BENEDETTI:

Tudo certo, tudo corretíssimo. Isso mesmo (inclusive, adorei esta parte de "atacar a presa", espero encontrar uma destas por aí), mas...

BARBARA ABRAMO:

As mulheres se sentem atraídas pelos conteúdos que estão identificados com a Vênus delas.

VALDENIR BENEDETTI:

Tanto as mulherers quanto os homens se identificam com os significados simbólicos de Vênus, pois Vênus representa o fator de Escolha, tanto estética quanto afetiva (o que torna as duas experiências muito próximas, primas entre si). Vênus define a linha de eleição afetiva, define um padrão que costuma se repetir em todas as escolhas amorosas, mesmo que se aprimorando com as experiências da vida, e podemos dizer que, por exemplo, pessoas com Vênus em Áries procura sempre um príncipe/princesa guerreiro para salvá-lo(a) da torre do castelo (a família, um casamento, um emprego medíocre) e, assim que são salvas, a escolha perde o sentido, a relação perde o sentido e a pessoa precisa procurar outro salvador para salvá-lo(a) daquela relação. Vênus em Aquário procura alguém que fuja ao padrão, que tenha uma identidade forte e definida. Depois se arrepende, porque uma pessoa assim não gosta de se prender, e assim por diante.

Quando citamos Marte como fator de atração, referimo-nos ao padrão de identificação físico/sexual, macho/fêmea etc. Sem estética, sem afeto (que, no contexto geral da atração/identificação, obviamente estão incluídos, ou seja, não estamos excluindo Vênus exatamente pelo mapa ser uma totalidade), apenas instinto e biologia em jogo. A tal da história do cheiro.

"Buscamos com mais avidez aquilo que não temos."


Anterior | Próxima | Sumário desta edição | Índices

© 1998-2004 Terra do Juremá Comunicação Ltda.