Constelar Home
menu
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 181 :: Julho/2013

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

O INGRESSO SOLAR EM ÁRIES 2013

Previsões para 2013-14, país por país - I

Fernando Fernandes

Manifestações em junho de 2013O ingresso do Sol em Áries define previsões válidas para um ano. As configurações do ingresso solar de 2013-2014 expressam duas tendências praticamente opostas: de um lado, a turbulência e espontaneidade da ação individual contra os poderes constituídos; do outro, um Grande Trígono de Água apaziguador e preservador do status quo.

Esta é a primeira parte do artigo, apresentando as tendências gerais do Ingresso Solar e as previsões para Brasil, Rússia e países do Oriente Médio.

Em março de 2013 o autor apresentou em dois diferentes eventos suas previsões com base no mapa do Ingresso Solar em Áries para 2013. Os eventos foram o Águas de Março, do SINARJ, em 9 de março, no Rio de Janeiro, e a comemoração do equinócio da UNIPAZ, em 22 de março, em Porto Alegre. Abaixo pode ser vista a íntegra da apresentação utilizada na palestra, em formato Flash. Trata-se do mesmo material exibido em Porto Alegre.

O artigo resume as previsões apresentadas naquelas duas palestras e acrescenta alguns comentários que comparam as previsões de março com os fatos verificados até o início de julho de 2013.

Nota: clique no último botão à direita, na barra de navegação da apresentação
acima, para ver em tela cheia. Para retornar ao texto, aperte ESC em seu teclado.
O áudio original desta e de outras palestras é comercializado pelo SINARJ
(sinarj@sinarj.com.br).

Mulheres e adolescentes confrontam o status quo

Em 2012 e início de 2013 algumas jovens mulheres ganharam notoriedade por enfrentarem, com a cara e a coragem, o poder constituído em defesa de causas ligadas à cidadania e aos direitos da comunidade. Uma delas foi a adolescente paquistanesa Malala Yousaftzai, que vivia numa região onde os talibãs proibiram as mulheres de frequentar a escola. Malala desafiou a proibição e levou um tiro que a deixou entre a vida e a morte. Socorrida a tempo, foi tratada na Inglaterra e transformou-se num ícone internacional da igualdade de gênero.

Outra adolescente que fez notícia foi a catarinense Isadora Faber, que criou no Facebook a página Diário de Classe para denunciar o descaso dos autoridades com relação às escolas públicas. A página transformou-se num fenômeno de acessos e as autoridades catarinenses da área de educação ficaram em maus lençóis. Mais impressionante: crianças e adolescentes por todo o país abriram páginas semelhantes, que vêm-se revelando um poderoso instrumento de fiscalização da qualidade dos serviços de educação prestadas pelo Estado.

A blogueira cubana Yoani Sánchez já não é tão jovem, mas encarna o mesmo espírito de rebeldia ao assumir o papel de consciência crítica do regime da ilha de Fidel Castro.

Longe de serem casos isolados, Malala, Isadora e Yoani expressam uma tendência que se manterá ao longo de 2013 e 2014. São bons exemplos da dinâmica de Netuno em Peixes (a utopia social) conjugada com Urano em Áries em quadratura com Plutão em Capricórnio (a iniciativa individual em confronto com os "podres poderes").

Para que serve um ingresso do Sol em Áries?

O ingresso do Sol em Áries é o mapa calculado para o momento exato do equinócio de primavera no hemisfério norte. Registra o momento em que o Sol transita sobre a intercessão dos planos do equador e da eclíptica, conectando as dimensões mundana e celeste. Por esta razão, simboliza o início de um novo ciclo do Sol, ou o ano novo astrológico, e o mapa calculado para este momento permite previsões válidas para os doze meses seguintes. Como ferramenta de previsão, a análise do ingresso do Sol em Áries apresenta algumas vantagens e algumas claras desvantagens.

As vantagens:

  • Trata-se de um método totalmente confiável, já que não depende de mapas nacionais. Para termos o clima geral do ano para determinado país, basta calcularmos o ingresso solar para a latitude e a longitude da capital. Assim, os ingressos solares de todos os países do mundo apresentam as mesmas configurações celestes (planetas em signos), mas a estrutura de casas muda de país para país, permitindo uma particularização.
  • Se conhecemos com precisão o mapa de determinados países ou de seus dirigentes, podemos compará-lo com o mapa do ingresso solar, de forma a chegarmos a previsões mais precisas.
  • Sempre que o mapa do ingresso solar de determinado país apresenta planetas nos ângulos, temos aí um foco atividade bem definido, já que planetas angulares sempre tendem a encontrar um canal de manifestação.

As desvantagens:

  • Trata-se de uma técnica excessivamente genérica, que só permite previsões igualmente vagas. Para prognósticos mais precisos, há que recorrer também a lunações, eclipses, mapas nacionais e outros recursos.
  • Como também é possível levantar o mapa dos ingressos do Sol no equinócio de outono e nos dois solstícios, temos, na prática, um mapa para cada estação. O ingresso do Sol em Áries é o mais importante dos quatro e o único a que se atribui um alcance anual, mas não está totalmente claro o peso deste mapa frente ao dos outros ingressos.
  • Por todas essas razões, não é a melhor técnica para utilizar isoladamente.

A quadratura T cardinal de 2013

Considerando o mapa do ingresso solar em Áries em sua forma genérica, sem qualquer estrutura de casas, três configurações logo se destacam. A primeira e mais importante delas é a quadratura T cardinal entre Sol-Marte-Urano em Áries, Plutão em Capricórnio e Lua em Câncer. É uma configuração muito explosiva, que se manifesta de maneira rápida, espontânea, violenta e primária. Ao ser ativada, funciona como um relâmpago iluminando subitamente as casas ativadas e trazendo consciência sobre os assuntos que estas casas representam.

Uma configuração envolvendo de forma tensa Sol, Urano e Marte no mapa do ingresso solar não é um fenômeno muito comum. Por esta razão, procuramos nos últimos cem anos a possível ocorrência de outro ano com configurações semelhantes. Só encontramos um exemplo: o ingresso solar de 1929, exatamente o ano do crash da Bolsa de Nova York, que desencadeou a Grande Depressão.

Ingresso solar 1929

Ingresso do Sol em Áries de 1929, sem estrutura de casas.

Apesar das semelhanças entre os ingressos solares de 1929 e 2013, não estamos às vésperas de uma crise tão devastadora, ou ao menos não da mesma natureza daquela que resultou na Grande Depressão. A diferença está em Éris, o planeta anão descoberto há poucos anos e cuja utilização astrológica ainda se restringe à área experimental.

No ingresso solar de 1929, vemos que Éris (cujo glifo, no mapa, lembra um Marte invertido, com a seta apontando para baixo) acabara de entrar em Áries. Assim, Éris está em conjunção com Sol e Urano e em quadratura com Marte e Saturno. Entendemos que o papel de Éris na carta é indicar áreas onde a humanidade se defronta com novos desafios, que só podem ser adequadamente enfrentados caso haja uma revisão coletiva de concepções políticas, econômicas e ideológicas. Estamos diante de uma situação erisiana quando percebemos que nosso repertório cultural não é suficiente para resolver uma nova situação. É o momento em que precisamos desenvolver, como coletividade, um novo approach para o problema, capaz de incluir os fatores que antes não faziam parte de nosso modelo. Apenas um exemplo: a explosão das bombas atômicas de Hiroshima e Nagasáqui colocou para a humanidade, pela primeira vez, o risco da aniquilação coletiva (um risco plutoniano). Como esse risco foi enfrentado? Mediante a criação de mecanismos de negociação internacional, como a ONU, e do perigoso jogo da Guerra Fria, cuja ideia central é: enquanto os lados em conflito forem suficientemente fortes para destruirem-se mutuamente, ninguém terá motivos para iniciar uma guerra. Situações como esta mostram que Éris tem forte analogia com o signo de Libra, do qual é provavelmente o regente moderno.

O desafio erisiano da crise de 1929 - uma crise gerada pelo descompasso, em escala mundial, entre produção e mercado - era como construir mecanismos coletivos de controle das forças do mercado de forma que, sem descaracterizar completamente o princípio da livre iniciativa, fossem evitados os

A Grande Depressão é fruto exatamente da incapacidade das grandes potências econômicas em encontrar uma saída rápida, abrangente e inclusiva para a crise do capitalismo.

Quadratura T - Ingresso solar 2013

Ingresso do Sol em Áries de 2013

Já no mapa do ingresso solar de 2013, Éris não está numa órbita aceitável de aspecto com os planetas envolvidos na quadratura T, indicando que os grandes desafios do ano não dizem respeito a situações inéditas, mas sim a situações já bastante conhecidas e para as quais já existe um repertório de soluções possíveis. Por outro lado, é mais um ano sob a égide da quadratura Urano-Plutão, desta vez turbinada, no mapa do ingresso solar, pela presença nervosa da quadratura Marte-Lua, indicadora de pavio curto e disposição hiperreativa. A bomba é a mesma dos dois últimos anos, mas agora o pavio está mais curto.

Sob esta perspectiva, os países nos quais devemos prestar atenção são aqueles onde, no mapa do ingresso, os eixos do Ascendente ou do Meio do Céu coincidirem com a faixa entre 6º e 8º dos signos cardinais, indicando a possibilidade de uma particularização, naquela região do mundo, do potencial explosivo do aspecto. Para nenhum lugar do mundo isso será tão verdade quanto para a China, como veremos na segunda parte deste artigo.

O Grande Trígono de Água

Trígono de Água - Ingresso Solar 2013

A segunda configuração que encontramos na carta do ingresso solar 2013 é o Grande Trígono de Água envolvendo Saturno, Lua e Netuno/Mercúrio, além do asteróide Quíron. Vemos aí os regentes de dois eixos femininos, Câncer-Capricórnio (estrutura) e Virgem-Peixes. Na verdade, esta configuração também inclui Plutão em Capricórnio, mas optamos por destacar apenas o trígono, até porque esta configuração antecipa o outro Grande Trígono em Água, que será formado por Júpiter, Saturno e Netuno em meados do ano.

Cabe observar que a o trígono entre os três planetas lentos reverbera a última conjunção entre eles, ocorrida em Touro, em 1881-1882. Esta conjunção tem muito a ver com um momento de forte expansão do capitalismo industrial, com destaque para o processo histórico de partilha da África entre as potências europeias, mediante a formação de extensos impérios coloniais. Como o trígono é uma configuração fluente, uma possibilidade é que os países industriais europeus tentem sair da crise atual ativando mecanismos análogos aos de 1881-1882: acordos de divisão do mercado internacional e "desova" de excedentes industriais em países periféricos do terceiro mundo.

O Grande Trígono em Água do mapa do ingresso envolve planetas e signos femininos. Assim, estarão em evidência questões relacionadas a conservação, sustentação, apaziguamento ou amortecimento de conflitos, além de iniciativas de resistência social e cultural de grupos tradicionais.

Comentário em julho de 2013 - Os dois Grandes Trígonos em Água - tanto o do mapa do ingresso (com a Lua) quanto o que se forma no céu a partir de junho (com Júpiter) - atuam como os "bombeiros" que contrabalançam a violência e o excesso de eletricidade da Quadratura T cardinal. Graças aos Trígonos de Água, os movimentos de massa no Brasil não desembocaram numa radicalização irreversível. Aliás, desde o evento Presságios 2013, realizado em dezembro de 2012, usávamos as imagens do incendiário e do bombeiro para representar as duas grandes tendências em conflito no momento presente.

O quincunce Júpiter-Saturno

Quincunces são aspectos de adaptação e reajuste de processos que ficaram mal resolvidos quando do início do ciclo entre os planetas envolvidos. No caso, a última conjunção entre Saturno e Júpiter ocorreu em Touro, em maio de 2000, período que correspondeu a uma fase de euforia econômica com negócios da internet (a famosa bolha especulativa em empresas pontocom) e de grandes projetos de internacionalização da economia (com muitas esperanças no euro, que seria adotado oficialmente a partir de 1º de janeiro de 2002).

Pode-se esperar em 2013-2014 um movimento de reajuste (provavelmente para baixo) no valor de alguns negócios internet, assim como mais apertos financeiros na zona do euro, com impactos no resto do mundo.

O Ingresso Solar do Brasil

Ingresso Solar 2013 Brasil

Ingresso do Sol em Áries para 2013 - Brasília, DF.

A carta do ingresso solar 2013 calculado para Brasília mostra um stellium na casa 12, que inclui o próprio regente do Ascendente, Marte. Questões de casa 12 estarão em evidência, o que pode abranger toda uma vasta gama de situações. As melhores possibilidades indicam um grande esforço para integrar populações marginalizadas através da educação (quadraturas com planetas no eixo 3-9) e de programas de redistribuição de renda (regentes das casas 2 e 8 na 12). No outro extremo, temos algumas possibilidades bastante negativas, como a revelação de novos escândalos políticos, provocando indignação e reações exacerbadas; assuntos encobertos poderão vir à luz pela atuação da imprensa; o crime organizado poderá provocar novas conflagrações da ordem pública, enquanto o crack continuará seu avanço como epidemia social.

Por outro lado, o ingresso solar de 2013 mostra o Poder Executivo com maior liberdade de ação do que no ano anterior, quando Saturno ocupava o Meio do Céu. Significa que a presidente da República terá maior margem de manobra em relação às cobranças e exigências do Congresso.

Um detalhe que chama a atenção é o fato de que o ingresso brasileiro é o único, dentre aqueles dos principais países do mundo, cujo Ascendente está em conjunção com Éris. Trata-se, portanto, do país onde o desafio de encontrar soluções inclusivas para problemas inéditos será colocado de maneira mais visível. Admitindo Éris como corregente de Libra, este planeta seria significador de relações de parceria (entre instituições ou mesmo entre países) e dos conflitos daí decorrentes.

Já a sinastria entre o mapa do ingresso para o Brasil e a carta da Independência mostra o Ascendente do ingresso ativado a casa 3 do país - a das vias de transporte, comunicação, comércio e relações com países fronteiriços.

Um dado adicional é o grau simbólico da Volosfera que corresponde ao Ascendente do ingresso solar em Áries calculado para Brasília:

Áries 25 - Um cavaleiro, dando a impressão de força, monta um cavalo bravo que mantém firmemente nas mãos. Ele olha com um ar de desprezo um ser mal formado, com os cabelos desordenados, montado sobre um carneiro, que se esforça para jogá-lo no chão.

A imagem é muito significativa, e uma das mais agressivas do zodíaco. Indica um risco de combate entre o cavaleiro forte e arrogante e o "ser mal formado, com os cabelos desordenados", montado num carneiro. O cavaleiro representa as classes superiores: governantes, políticos, empresários, autoridades em geral. O "ser mal formado", seja qual for o grupo social que represente, é uma impressionante imagem para Marte-Urano em Áries. Na mitologia grega, algumas das divindades mais monstruosas eram exatamente os filhos de Urano. A eles caberia adequadamente a descrição de figuras mal formadas e desgrenhadas.

A imagem da Volosfera deixa claro que, seja lá quem forem essas figuras uranianas, o cavaleiro forte deveria deixar de lado a arrogância e observá-los com mais atenção.

Comentário em julho de 2013

A Lua (opinião pública, gente comum) na casa 3 (vias públicas) em quadratura praticamente exata com Urano (rebeldia) e Marte (raiva e iniciativa) é um símbolo bastante eloquente para ânimos acirrados nas ruas, inclusive com a possibilidade de conflitos e ferimentos. Contudo, a configuração do mapa do ingresso solar não permitiria prever, por si só, a força e a intensidade dos protestos populares que tomaram conta das cidades brasileiras em junho de 2013. Num primeiro momento, a interpretação que pareceu mais lógica foi a de risco de distúrbios provocados pelo crime organizado (como já acontecera em São Paulo em 2006 e no Rio em vários momentos desde 2002).

A casa 12, onde está o stellium, rege uma grande quantidade de assuntos e personagens que têm de comum entre si as ideias de ocultamento, exclusão e invisibilidade. Por isso, é a casa dos desempregados e dos "sem" alguma coisa: Sem Terra, Sem Teto etc. Por outro lado, é também a casa das organizações clandestinas e dos dependentes químicos, incluindo usuários de drogas pesadas. Surpreende, portanto, que os protagonistas iniciais das grandes mobilizações realizadas a partir de junho de 2013 não tenham sido esses grupos excluídos e marginalizados, e sim a classe média dos trabalhadores e estudantes.

O que parece ter prevalecido foi outro significado da casa 12, que também representa tudo aquilo que temos dificuldade de enxergar, de maneira geral. Neste sentido, a indignação que explodiu nas ruas é bem um fenômeno desta casa: sempre esteve lá, mas sua real dimensão passou despercebida de quase todo mundo e surpreendeu até mesmo as massas de manifestantes, que não tinham noção de sua capacidade de mobilização.

No mapa do ingresso, o que fala mais eloquentemente sobre o momento que o país atravessa é a imagem correspondente ao grau do Ascendente. O "ser mal formado" pode ser entendido como a opinião pública que, ao vir para a rua protestar, trouxe uma pauta de reivindicações tão vasta que ainda confunde políticos e cientistas sociais. Já o cavaleiro que "olha com ar de desprezo" parece simbolizar o comportamento das classes dirigentes, que tendem a minimizar as reivindicações pelo fim da corrupção e a propor paliativos inócuos ou impraticáveis.

De qualquer forma, o ingresso solar brasileiro para 2013 confirma as qualidades e as limitações da técnica: de maneira geral, aponta os focos de atividade do ano (casas 12, 3 e 9), mas não é suficiente para explicar todos os desdobramentos do momento atual, especialmente a brusca queda de popularidade da presidente. Para isso é preciso considerar com atenção os trânsitos e progressões sobre os mapas da Independência e da República.

Rússia e Oriente Médio com stellium na casa 9

Tanto a Rússia quanto diversos países do Oriente Médio terão o Meio-Céu em Áries enquanto Marte, seu regente, ocupa a casa 9. São países cujas principais decisões dos respectivos governos podem estar atreladas a tensões e conflitos internacionais, assim como a questões religiosas. No caso do Oriente Médio, trata-se de uma situação comum, em função das crônicas rivalidades regionais. Contudo, a casa 9 não fala exatamente de rixas de vizinhança, mas sim de questões que se colocam num âmbito mais vasto, envolvendo ideologias e grandes movimentos geopolíticos em escala mundial.

No caso dos países com o Ascendente do ingresso solar em Leão, como Rússia e Síria, há uma possibilidade maior de acordo entre povo e governo (difícil de acreditar, com Putin e Bashar al-Assad no poder, mas é o que mostram os mapas), se bem que num clima de turbulência motivada pela ação de grupos opositores que agem de forma clandestina ou rebelde. Já nos países onde o Ascendente é Câncer, como Israel e Egito, pode-se pensar numa forte tensão opondo povo e governo e gerando uma onda de insatisfação ou protestos populares. Eis alguns mapas:

Rússia Ingresso Solar 2013

Ingresso solar em Áries para Moscou - 20.3.2013, 14h01 (+03:00) - 037e35, 55n45.

Ingresso solar 2013 Israel

Ingresso solar em Áries para Telaviv - 20.3.2013, 13h01 (+02:00) - 034e46, 32n04.

Ingresso solar 2013 - Egito

Ingresso solar em Áries para o Cairo - 20.3.2013, 13h01 (+02:00) - 031e15, 30n03.

Ingresso solar 2013 - Síria

Ingresso solar em Áries para Damasco - 20.3.2013, 13h01 (+02:00) - 036e18, 33n30.

Comentário em julho de 2013 - A queda do presidente Mursi, no Egito (Ascendente do ingresso em Câncer), está totalmente de acordo com a dinâmica do mapa do ingresso solar. No caso da Turquia, cujo governo vem enfrentando uma onda de protestos, Áries está no Meio do Céu mas o Ascendente na capital Ancara é Leão, e não Câncer, o que reduz a força da rebelião popular. O mesmo ocorre na Síria, onde Bashar al-Assad, apesar de toda a intensidade da insurreição oposicionista, ainda consegue manter-se no poder.

Nos três países que vêm apresentando os mais sérios conflitos na região, Síria, Egito e Turquia, a questão religiosa (casa 9) desempenha papel fundamental: na Síria, o conflito opõe dois grupos ligados a diferentes vertentes do Islamismo; no Egito e na Turquia, há uma forte oposição popular à tentantiva governamental de implantar um Estado Islâmico.

Saturno angular

Irã - Ingresso solar 2013

Ingresso solar em Áries para Teerã - 20.3.2013, 14h31 (+03:30) - 051e26, 35n40.

Diferentemente da Síria e da Rússia, o Irã apresenta um mapa com Ascendente em Leão, mas com o Meio do Céu já em Touro. Os dois regentes, Sol e Vênus, estão em conjunção no final da casa 8, indicando alguma forma de acordo e concessões mútuas entre governo e população.

Saturno angular no Fundo do Céu é um fator de estabilização no ingresso solar do Irã. Tal como em 2012, mais uma vez a carta do país mostra que os aiatolás não tomarão a iniciativa de abrir nenhum conflito internacional. Saturno é o regente da casa 6 (força de trabalho), e indica que o país vem investindo pesadamente no reforço de suas defesas e no sentido de obter uma base mais sólida para proteger-se de futuros conflitos. Há possibilidade de agressões externas, ou ao menos de ameaças neste sentido.

Comentário em julho de 2013 - A eleição de um clérigo moderado para a presidência do Irã, no lugar de Ahmadinejad, confirma a tendência para maior estabilidade interna ao longo deste ciclo solar.

Outros artigos de Fernando Fernandes.

Comente este artigo |Leia comentários de outros leitores



Atalhos de Constelar | Voltar à capa desta edição |

Fernando Fernandes - Ingresso solar em Áries | Previsões 2013-2014 - Brasil e Oriente Médio |
Fernando Fernandes - Astrologia e questão energética | Blecautes, apagões e risco de racionamento |

Edições anteriores:

Fernando Fernandes - Perfil Astrológico | Joaquim Barbosa, o paladino da Água |
Patricia Kesselman - Técnica aplicada | Interpretação de eclipses em cartas pessoais |
Marcello Borges - Astrologia Oriental aplicada | A reencarnação de Edgar Cayce |
Fernando Fernandes - O zodíaco surrealista de Johfra Bosschart | Os signos, de Áries a Leão | Os signos, de Virgem a Peixes | O mapa astrológico de Johfra |



Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.
Constelar Home Mapas do Brasil Tambores de América Escola Astroletiva