Constelar Home
menu
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 162 :: Dezembro/2011 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

ASTROLOGIA MUNDIAL

O mapa astrológico de Plutão

Rose Villanova

Hades e CérberoO mapa calculado para o momento da descoberta de Plutão, em 1930, fala da "personalidade" desse planeta ligado ao poder e ao submundo. Os trânsitos e progressões antecipam a atual crise do mundo desenvolvido.

Esquerda: Hades (a representação grega de Plutão) e o cão Cérbero.

Gosto muito de analisar os mapas de descobrimento dos planetas transpessoais, é incrível o quanto eles dizem da “personalidade” do planeta.

Agora que Plutão está em Capricórnio - signo oposto ao signo que ocupava quando foi descoberto - e que os fatos daquela época parecem ser muito semelhantes aos do momento, resolvi fazer um exercício de previsão sobre este mapa. O resultado está neste artigo.

Mas antes vamos ver o mapa da descoberta em uma breve análise.

A personalidade de Plutão

O Ascendente Leão, com o Sol em Aquário na casa VIII revela tendência à auto-destruição e forte sentimento de inadequação. Chega a ser até engraçado, em vista da polêmica entre os astrônomos em considerá-lo, ou não, um planeta. Sol, enquanto planeta mais importante de um mapa, reforçado por ser regente do Ascendente e colocado na VIII, a casa de Plutão, não deixa dúvidas sobre a natureza desta personalidade que estamos analisando. A Lua em Escorpião na casa IV só vem a confirmar a natureza escorpiana e plutoniana do planeta.

Ele, o próprio, está colocado na XII, garantindo assim a invisibilidade que seu capacete oferece, além da sua atuação sempre exercida de maneira a atingir a tudo e a todos nos pontos mais vulneráveis e delicados.

Descoberta de Plutão

Mapa da descoberta de Plutão
18/2/1930 – Flagstaff - Arizona

Estar na XII também significa uma afinidade grande com os assuntos desta casa: prisão, confinamento, limitações, marginalidade, vícios, inimigos secretos, etc. Assim como os antigos viam em Saturno relações com a XII pelas limitações e dores que este planeta representa, também Plutão, por suas características, se afina com este setor do mapa.

O Sol, na VIII está em conjunção a Vênus, regente de IV e X e dispositor do Nodo Norte. Portanto, o propósito de Plutão é de transformar radicalmente as instituições básicas: família, governos e poderes constituídos.

Vênus, conjunto ao Sol, empresta a Plutão a sedução e encantamento que o poder de Plutão exerce.

Marte e Mercúrio angulares, na VII, fazem para mim um sentido enorme. Sempre percebi em Plutão uma energia mesclada de Marte/Mercúrio. Considerando o poder de Mercúrio: palavra, pensamento, propaganda, imprensa e cultura e a forma como Plutão atua, não é difícil encontrar algo de Mercúrio, até o glifo dos dois, muito semelhantes. Esta conjunção na VII mostra o quanto este poder pode ser direcionado para o outro e ao final voltar-se contra nós mesmos, ou ainda, um poder do qual sempre nos consideramos vítimas passivas.

Glifos de Plutão e Mercúrio

Os dois planetas encontram-se em Aquário, signo surpreendente e revolucionário, quereria isto mostrar o recrudescimento das organizações terroristas em tempos contemporâneos?

Júpiter na XI em Gêmeos mostra a prosperidade das associações de classe e ideológicas que vemos cada vez mais acontecerem nos tempos modernos, assim como o poder que têm conseguido impor. O fato de Júpiter estar mal colocado/exilado em Gêmeos também revela o quanto muitas destas associações se formam e atuam de forma muito pouco ética e bastante hipocritamente.

Netuno na II indica o quanto a partir do descobrimento de Plutão os valores mudaram e passaram a ser difusos e confusos para todos, na verdade os valores se desfizeram sob a névoa netuniana. O dinheiro que antes era emitido de acordo com o lastro ouro de cada país, passou a existir em títulos futuros e tornou-se cada vez mais virtual (ilusório) do que real.

Saturno em Capricórnio na VI revela o quanto a necessidade de controle passou a dominar o homem.

A partir de Plutão, instalou-se a obsessão pelos cuidados com a saúde como instrumento para se manter sempre “perfeito” e vencer a morte que, aliás, tornou-se a pior coisa a se temer. Esta colocação também remete à informática como instrumento poderoso de trabalho, armazenamento e controle de dados.
Urano ocupa a casa IX, trazendo uma enorme liberdade religiosa paralela a também um grande poder político-religioso. Outro fato proveniente desta colocação é o rompimento das fronteiras entre os povos, consumado naquele tempo pelas tropas estrangeiras combatentes e hoje pela internet e aviação - esta última surgida na primeira guerra e hoje funcionando em proporções gigantescas.

Importante notar que Saturno e Urano formam quadratura. Este aspecto revela a tendência para o estabelecimento dos governos totalitários, o que de fato ocorreu na época do descobrimento de Plutão.

O momento de Plutão

Os trânsitos sobre o mapa natal de Plutão, neste período em que faz oposição ao signo de sua descoberta, explicam e muito algumas coincidências entre os fatos daquela época e os atuais.

O fato mais significativo foi o crash da bolsa de Nova York, estopim que precipitou uma série de outros acontecimentos, sendo que o mais impactante, sem dúvida, foi a Segunda Guerra, onde se viu o maior genocídio da história – Plutão em Câncer. A Segunda Guerra foi também o marco do avanço da tecnologia armamentista e, com ela, uma série de avanços tecnológicos e de comunicação vieram a reboque. 

O que se vê agora é novamente um empobrecimento da nação mais poderosa do mundo e de toda a Europa. Este empobrecimento do primeiro mundo, quando Plutão foi descoberto, deu origem a governos totalitários, de esquerda e de direita, e um espírito xenófobo instalou-se nas nações européias, desembocando no massacre aos judeus pelo nazismo.

Hoje vemos exatamente o mesmo acontecer na Europa, não só um crescimento da xenofobia como a volta de regimes de direita. Nos Estados Unidos, a partir do “11 de Setembro”, cresceu a aversão aos muçulmanos, que passaram a encarnar a face do mal para os norte-americanos, além da intolerância aos povos sul-americanos, considerados vilões do tráfico de entorpecentes.

Como disse Sartre e vale muito para o primeiro mundo: “o inferno são os outros

Progressões e Trânsitos

Plutão - Trânsitos e Progressões

Mapa da Direção do Arco Solar – círculo externo

Mapa dos trânsitos do momento -  círculo do meio
Mapa da Descoberta de Plutão -  círculo interno

A Lua progredida está retornando agora a seu local natal. O aspecto reforça este momento tão importante de Plutão (a oposição, por signo, de nascimento). Um novo ciclo lunar se inicia, inaugurando mais um período de 28 ½ anos de maturidade do planeta e renovando sua atuação.

O Meio-Céu progredido está fazendo conjunção à posição de Plutão natal, progressão que será exata em maio de 2012. Poderia ocorrer uma derrocada geral dos governos? No dia 15 de outubro, assistimos a passeatas realizadas em mil cidades de todo o mundo sob o lema “Unidos para uma mudança global” contra os políticos, contra a corrupção dos governos e contra o poder financeiro atual. Este é apenas o começo de um movimento organizado por jovens da Europa. É um movimento apartidário que inclusive pretende a prazo mais longo criar um partido sem fronteiras. 

Pela Direção do Arco Solar, a Lua dirigida está em aspecto de conjunção exata a Mercúrio radical, este regente das casas XI e III e dispositor de Júpiter, regente de V e IX. Os aspectos de Lua têm como característica provocar algum tipo de notoriedade geralmente por exibir uma situação de instabilidade, de abalo de estruturas; presenciamos, por exemplo, nas comunicações, os escândalos do WikiLeaks e do News of the World. Nas companhias aéreas, os lucros estão em queda livre e já não há confiança nas moedas e nas bolsas.

Plutão pelo Arco Solar está a 8° de Libra, fazendo aspecto exato de quadratura a Saturno radical e oposição a Urano.

Por uma “incrível coincidência”, Plutão em trânsito faz conjunção ao Saturno radical e Urano volta a sua posição do mapa natal. A partir de fevereiro de 2012 até julho de 2012, Plutão em transito estará no grau exato deste aspecto natal. Creio que neste período, veremos ainda mais quebradeira e fragilidades na economia dos países do primeiro mundo; principalmente quando o Sol transitar por Áries e houver a lunação neste signo - coisa que ocorre no dia 22 de Março.

As revoltas populares dirigidas aos governos também tendem a aumentar, e temo também por um recrudescimento sem precedentes da violência civil. Também não estão descartados os fenômenos meteorológicos: furacões, tsunamis, secas e cheias. Infelizmente é este o quadro.

Outros trânsitos também chamam a atenção: Netuno está em conjunção ao Sol radical, possivelmente trazendo uma instabilidade bastante grande aos governantes que estarão sentindo o chão abrir-se a seus pés. Sem dúvida estamos vendo isto acontecer com os governantes dos países árabes e com a visível perda da hegemonia americana.

Em julho de 2012 haverá o retorno de Júpiter, terminando um ciclo de 12 anos e inaugurando um novo. O ultimo ciclo de Júpiter coincide com o uso estupendo da internet e também o enriquecimento estupendo das empresas de hardware e software. O que poderemos esperar agora?

Neste mesmo período, Netuno estará formando conjunção exata a Vênus radical e oposição a si mesmo. Sendo que Netuno estará, também ele, em oposição à sua colocação natal, reforçando o aspecto Vênus oposição Netuno. O que se espera é uma dissolução ainda maior dos valores, tanto morais quanto materiais. Creio que veremos o fundo do poço deste aspecto, e há que se esperar muitos mais problemas financeiros nos países do primeiro mundo com graves reflexos para os países menores, inclusive o Brasil. Como Netuno simboliza os líquidos, é bem possível que novos vazamentos em plataformas ou navios de petróleo aconteçam.

A dissolução dos valores morais e materiais poderá resultar em uma nova ordem que, tenho certeza, todos esperamos já há um bom tempo.

Quando Plutão fizer aspecto de 180° a si mesmo em 2017 estaremos vivendo o apogeu de seu ciclo. Após esta data começaremos o declínio. O que será que isto significa? Alguém se arrisca?

Outros artigos de Rose Villanova.

Comente este artigo |Leia comentários de outros leitores



Atalhos de Constelar | Voltar à capa desta edição |

Vanessa Tuleski - Comportamento | Carta de amor às mulheres que não se amam | Nascidos com a marca de Urano e Plutão |
Rose Villanova - Astrologia Mundial | O mapa astrológico de Plutão |
Ana González - Astrologia e Cinema | Netuno e Woody Allen em Paris |

Edições anteriores

Divani Terçarolli - Mitologia e Filosofia | Shiva e a dança da mudança |
Divani Terçarolli - Mitologia e Astrologia | Da consciência de Mercúrio à luz de Plutão |
Fernando Fernandes - Perfis astrológicos | Steve Jobs, a Grande Quadratura por trás da Apple |



Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.
Constelar Home Mapas do Brasil Tambores de América Escola Astroletiva