Constelar Home
menu
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 145 :: Julho/2010 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

ASTROLOGIA E CULTURA DE MASSA

O mapa da estréia de House

Fernando Fernandes

Saturno está cravado no Ascendente de uma das séries de TV mais assistidas no mundo. O mapa da estreia do programa revela os eixos dramáticos que tanto mobilizam o público.

House, o seriadoDeterminar as coordenadas para a carta de estreia do seriado House não é tarefa que possa ser realizada sem algumas dificuldades. Quanto ao dia e horário, nenhuma dúvida: House surgiu nas telas em rede nacional com o Sol em Escorpião, às nove da noite de uma terça-feira, 16 de novembro de 2004. A questão é: que cidade considerar para o levantamento da carta?

A rede de TV que produz e transmite a série é a Fox (Fox Broadcasting Company), que pertence ao Fox Entertainment Group, que por sua vez é controlado pela News Corporation do milionário Rupert Murdoch. As três empresas têm suas bases em Nova York, tornando esta cidade uma escolha bastante lógica para o levantamento do mapa. Por outro lado, a produção da maioria das cenas no interior do hospital onde House trabalha acontece num estúdio nos arredores de Los Angeles, enquanto o programa-piloto, que inaugurou a série, foi totalmente filmado no Canadá.

Há que lembrar, contudo, que, na imaginação de dez em cada dez espectadores, o ambiente dos personagens de House não poderia ser outro senão o Princeton-Plainsboro Teaching Hospital, onde o médico ranzinza trabalha. O hospital, é claro, não existe, mas as tomadas externas são feitas utilizando imagens reais do First Campus Center da Universidade de Princeton, New Jersey. Princeton, portanto, é a cidade que define o clima do seriado, tanto na ficção quanto na realidade, e é para lá que temos de levantar a carta de lançamento.

Princeton Frist Campus Center

O Princeton Frist Campus Center (foto: Wikipedia), que serve de cenário para o fictício Princeton-Plainsboro Teaching Hospital. Uma bela construção, em consonância com Vênus em Libra na casa 4 do mapa de estreia.

O mapa que temos aí é quase idêntico ao que resultaria de um cálculo para Nova York, com o Ascendente, em ambos os casos, no penúltimo grau de Câncer e em conjunção com Saturno.

Mapa da estreia de House, série de TV

Seriado House, estreia mundial - 16.11.2004, 21h (-05:00)
Princeton, New Jersey, 074w39, 40n20

Cumpre esclarecer que o mapa do seriado não se confunde com o mapa de seu personagem principal - um tipo Escorpião-Aquário, como bem define Vanessa Tuleski em outro artigo. Mais exatamente, o mapa do seriado serve para identificar qual é o eixo dramático fundamental, o conflito estruturador em torno da qual gravitam todos os personagens. De imediato, percebemos que esse mapa tem dois focos importante: um deles é o Saturno angular, oposto à Lua e praticamente isolado no hemisfério oriental, situação que lhe dá um grande destaque; o outro é o segundo quadrante - aquele que abrange as casas 4, 5 e 6 - ocupado por nada menos que seis planetas, incluindo todos os pessoais.

Dra. Cuddy - HouseA Doutora Cuddy, diretora do hospital, é o personagem que melhor corporifica o eixo Saturno-Lua do mapa de estreia de House.

O segundo quadrante diz respeito aos sentimentos, à intimidade emocional (sentidos de casa 4), aos romances e à necessidade de auto-expressão criativa (casa 5), assim como à rotina produtiva e à perícia com que executamos nossas tarefas (casa 6). Para simplificar, o seriado não é o que parece. O foco não está exatamente na questão da carreira e do sucesso mundano, mas sim em todo o universo de sentimentos que insistem em vibrar dentro de cada personagem, por mais que a disciplina profissional exija que sejam rigorosamente controlados (Saturno angular).

A oposição Saturno-Lua coloca em evidência a tensão entre emoção e disciplina, entre carreira e interesse pessoal. Com este aspecto em destaque, é normal que o seriado traga à tona o conflito entre a espontaneidade e a necessidade de autocontrole. O ambiente do hospital exige frieza, maturidade, mas a emoção sempre encontra brechas. O pudor de assumir plenamente as necessidades mais íntimas (Lua em Capricórnio) leva ao sofrimento, ainda mais porque o sacerdócio profissional dificulta a formação de vínculos familiares. Saturno e Lua estão em recepção mútua (troca de domicílios), mostrando que nem a carreira nem a vida familiar são totalmente satisfatórias para os personagens que perambulam por aquele hospital. O Dr. House e seus colegas são todos solitários, de uma forma ou de outra.

Dr. WilsonO Dr. Wilson (direita) é o melhor amigo de House e personifica a dimensão libriana presente no mapa de estreia do seriado.

Com Mercúrio em conjunção com Plutão, é evidente que os temas da perícia e da capacidade investigativa também teriam de aparecer no seriado. Como a conjunção se dá em Sagitário, a arte da investigação em busca do diagnóstico perfeito sempre lança mão do conhecimento acadêmico, recorrendo ao que há de melhor no conhecimento médico convencional (Sagitário, o signo da cultura e da universidade). Mas, como o aspecto está na casa 5, as investigações de House sempre adquirem também um tom de jogo, de especulação de alto risco, onde o preço de um erro pode ser a vida do paciente. As decisões de House sempre têm um certo quê de aposta.

Paixões intensas, sofridas e silenciosas também estão no cardápio, como não poderia deixar de ser com Sol em Escorpião na 5.

Digno de nota também é que os únicos planetas em domicílio na carta, ambos na casa 4, são exatamente Vênus e Marte, um par ligado ao desejo e à sexualidade. Mais uma vez, a confirmação do deslocamento: sob o pretexto de discutir a arte de diagnóstico de complicados casos médicos, o seriado na verdade discute sentimentos, desejos e paixões reprimidas. O sucesso mundial é fruto da identificação do público: por trás da aparência de profissionais acima de qualquer tentação, os personagens de House são, enfim, tão carentes quanto qualquer mortal.

Outros artigos de Fernando Fernandes.

Leia também: House, alma escorpiana, mente aquariana, de Vanessa Tuleski.

Comente este artigo |Leia comentários de outros leitores



Atalhos de Constelar | Voltar à capa desta edição |

Vanessa Tuleski - House | Alma escorpiana, mente aquariana |
Fernando Fernandes - O mapa da estreia de House | Saturno no Ascendente |
Redação | Uma quadratura T, dois eclipses e muita tensão | José Maria Gomes Neto e Celisa Beranger |
Redação | Eclipses, quadratura T e projetos emperrados | Márcia Mattos e Maria Eugênia |
Fernando Fernandes | Um eclipse na base da cadeia alimentar | Os plânctos, o Irã e os Estados Unidos |
Fernando Fernandes | Copa do Mundo | Vuvuzelas e heróis destronados |

Edições anteriores

Entrevista - Os infiltrados | Astrólogos-filósofos tomam de assalto a universidade |
| É preciso renegar a Astrologia para fazer carreira? |
| Faculdade de Astrologia e regulamentação | Torres de marfim e operários do conhecimento |
Entrevista - Astrologia e Universidade | História, Imagem e Narrativas |


Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.
Constelar Home Mapas do Brasil Tambores de América Escola Astroletiva