Constelar Home
menu
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 129 :: Março/2009 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

A CRISE ECONÔMICA MUNDIAL

Muito mais do que uma marolinha

Niso Vianna

TsunamiConfigurações perigosas apontam quadro de risco para os Estados Unidos. O Brasil sairá fortalecido da crise econômica mundial, mas é preciso ter paciência: a melhora só vem depois de 2013.

A situação de insegurança gerada pela crise financeira chegou à economia real, acarretando restrição ao crédito e levando à queda no consumo e na produção. A consequência social mais grave é um surto de desemprego. Diante do cenário macroeconômico atual, alguns analistas anteveem que a recuperação pode levar três anos e, antes, é bem possível que se deteriore.

Nos Estados Unidos o desemprego pode chegar a dois dígitos até o final de 2009. No mundo todo, os números são alarmantes.

Apesar disso, no Brasil a produção automobilística chegou a 3,2 milhões de veículos, um recorde. Não obstante, em dezembro foram produzidos pouco mais de 100 mil unidades, uma queda de 54% em relação ao mesmo mês de 2007. Mesmo assim a indústria automobilística brasileira terminou o ano com estoques suficientes para atender a dois meses de vendas sem produção. Consequentemente, deu férias coletivas para seus funcionários, antes de começar a demitir.

A gigante Companhia Vale do Rio Doce espera que a partir de março/abril as indústrias comecem a repor os seus estoques e demandem pedidos, realimentando a espiral da economia. No entanto, com tantos empregos a menos gerando menor renda, o consumo tende a ser pífio, apesar dos programas de incentivo fiscal, dada a incerteza da hora presente em uma situação estável que gerasse a confiança necessária.

Dada como confirmada a recessão no mundo desenvolvido e como falacioso o descolamento dos BRIC's (Brasil,Rússia, Índia e China), os países ricos demandam menor consumo e os emergentes desaceleram fortemente por conta disso. Vimos os efeitos da demolidora entrada de Plutão em Capricórnio dando solavancos em grandes empresas e governos, em época de grande turbulência. Não bastando, ao final de 2008 a oposição Saturno-Urano apontou sérios entraves ao mundo capitalista em geral, de modo mais exato a partir de outubro/novembro. Até setembro, o Brasil tinha o anteparo do trígono Júpiter-Saturno em signos de Terra, de bem com Saturno em Touro em seu mapa. Isso conferia boa estrutura e melhor preparo, fazendo o país se sentir até então infenso à crise. Mesmo diante do cenário atual, conta com uma carteira diversificada de produtos e bons fundamentos econômicos como vantagens para sofrer menos com a crise. Mas não dá para dizer que, diante da tsunami no hemisfério Norte, é apenas uma marolinha o que vemos aqui...

Contudo, uma boa parte dos analistas acredita em um pequeno crescimento para o Brasil em 2009. Não às robustas taxas que o Brasil vinha conseguindo, mas ainda assim, é positivo se comparado ao resto do mundo na fase atual.

Apontei com argumentos astrológicos em artigos anteriores a possibilidade de a crise econômica que ora se apresenta ser mais severa em 2010 e melhorar até 2013, de forma gradual. Os Estados Unidos nesse ano recuperariam a força do crescimento econômico, bem como o Brasil. Pois, em 2013, um trígono de planetas em signos de Água estará favorecendo a conjunção Vênus-Júpiter do mapa dos Estados Unidos, aspecto bastante relacionado ao fato de ser a nação mais próspera do planeta.

Contudo, embora o Brasil vá superar melhor a crise, os aspectos tensos para o mapa dos Estados Unidos em 2014 assinalam tempos duros para a nação norte-americana: existe possibilidade de conflito armado, como ainda a continuidade em dificuldades estruturais para os Estados Unidos. Observem com bastante atenção as efemérides para a data de 22 de abril de 2014, que apresenta:

  • Marte a 13' de Libra
  • Júpiter a 13 'de Câncer
  • Urano a 13' de Áries
  • Plutão a 13' de Capricórnio

Reparem que o mapa dos EUA tem:

  • Sol a 12'44" de Câncer
  • Saturno a 14' de Libra

Ativações do mapa dos Estados Unidos em abril de 2014

Mapa interno: trânsitos do dia 22 de abril de 2014, calculado para às 16h50, em Filadélfia, de modo a deixar todos os planetas da Grande Cruz junto aos ângulos. No círculo externo estão os planetas do mapa da Independência dos Estados Unidos.

Apesar de uma significativa melhora em 2013, os problemas não estarão sanados em 2014. Prováveis respostas enérgicas a inimigos externos serão dadas. Problemas internos possivelmente continuarão clamando por solução. A Grande Cruz atinge em cheio o governo e a nação norte-americana.

Uma grande conclusão deverá fechar a próxima década: em 2020, haverá a triplice conjunção Júpiter-Saturno-Plutão (em meados de novembro de 2020 estarão a menos de 5 graus de distância, todos em Capricórnio). Sugere uma severa cobrança de responsabilidade sobre como será a perspectiva de "crescer e se estruturar no mundo sem prejudicá-lo", tanto individual como coletivamente, de forma claramente restritiva em relação aos atuais abusos, insustentáveis ao longo do tempo.

Os planetas lentos atualmente estão passando pelos últimos signos do Zodíaco (Urano - atualmente em Peixes; Netuno - hoje em Aquário; e Plutão - que acaba de ingressar em Capricórnio), apontando para um fim de ciclo. Aspiramos mesmo por uma nova civilização, vivendo em maior harmonia, com maior respeito ao planeta e às leis da vida. Estamos numa fase de transição para uma Nova Era, de maior fraternidade, de cobrança de maiores responsabilidades visando ao bem coletivo e de grandes avanços tecnológicos, entre os quais se destaca a Medicina.

Bem lá na frente, há aspectos bem mais amenos: entre 2023 e 2025, Urano, Netuno e Plutão estarão formando aspectos harmônicos entre si, indicando uma época melhor, em relação aos anos que se descortinam agora à nossa frente para o mundo. Não obstante os duros tempos que ora se apresentam, o Brasil será prestigiado pelo trânsito de Plutão em trígono com seu Saturno (2012) e Sol natais, prometendo até 2015 completa recuperação de oportunidades perdidas, além de maior poder de influência e legitimidade de seu governo, mais afinado com as aspirações e valores de sua nação, representados pelo Sol favorecido nestes anos. O Brasil sairá fortalecido desta crise.

Outros artigos de Niso Vianna.

Comente este artigo |Leia comentários de outros leitores



Atalhos de Constelar | Voltar à capa desta edição |

Niso Vianna - A crise econômica mundial | Muito mais do que uma marolinha |
Raul V. Martinez - Testando a chave secreta da Astrologia | Torres gêmeas, terremoto e um amor de carnaval |
Valeria Bustamante - João do Rio | O mais carioca dos cariocas | Da Belle-Époque ao Rio contemporâneo |
Fernando Fernandes - Comportamento | Maysa, a dor de todas as quadraturas |
Beatriz Romanzini - Saturno em oposição a Urano | Liberdade ainda que tardia |

Edições anteriores:

Fernando Fernandes - Obama e o imaginários dos desenhos animados | Barack Obama. Mas pode me chamar de Bob Esponja. |
Raul V. Martinez - Testando a Chave Secreta da Astrologia | A tragédia da TAM em Congonhas nas profecções |
| Aplicando a técnica ao Carandiru e ao Mensalão |
Henrique G. Wiederspahn - A fundação de São Paulo de Piratininga | Antecedentes históricos |
| Relação de eventos na história de São Paulo |
| A hora aproximada da Primeira Missa | Tabelas de testes de horário 1 | Tabela 2 | Tabela 3 |
| Direções Secundárias e Arcos Solares 1556-1895 |
| Direções e Arcos - séculos XX e XXI | Avaliação por meio de trânsitos e eclipses |


Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.
Constelar Home Mapas do Brasil Tambores de América Escola Astroletiva