Constelar Home
menu
Um olhar brasileiro em Astrologia
 Edição 100 :: Outubro/2006 :: -

Busca temática:

Índices por autor:

| A - B | C - D | E - F |
| G - L
| M - Q | R - Z |

Explore por edição:

1998 - 2000 | 2001 - 2002
2003 - 2004 | 2005 - 2006
2007 - 2008 | 2009 - 2010
2011 - 2013 |

País & Mundo |
Cotidiano | Opine! |
Dicas & Eventos |

O ACIDENTE DO VÔO GOL 1907

Um Boeing na floresta

Fernando Fernandes

A análise do mapa das duas decolagens permite deduzir qual das aeronaves provocou o acidente que matou 155 passageiros e tripulantes do vôo 1907 da Gol entre Manaus e Brasília.

Na tarde de sexta-feira, em Manaus, quase 150 pessoas esperavam pelo embarque sem saber que seu destino se cruzaria, menos de três horas depois, com o de um piloto e cinco passageiros americanos que às 14h51 decolavam num jatinho da Embraer no aeroporto de São José dos Campos, rumo aos Estados Unidos. Apenas 44 minutos separaram as decolagens das aeronaves que estavam destinadas a protagonizar o maior acidente da história da aviação brasileira.

Decolagem do Legacy Embraer - 29.09.2006, 14h51, -03:00 - São José dos
Campos, SP - 22s10, 45w06.

O mapa da decolagem do jatinho Legacy revela de pronto as duas configurações que estariam presentes também nos mapas da outra decolagem, em Manaus, e do choque entre as duas aeronaves: a quadratura T envolvendo Saturno, Netuno e Júpiter e a conjunção Lua-Plutão em Sagitário.

Saturno e Urano regem Aquário, signo no Ascendente da carta. Urano está em Peixes, signo de Netuno. Já Saturno está em Leão, um de seus exílios, e em oposição a Netuno em Aquário. Portanto, os dois regentes do Ascendente, além de envolvidos em aspectação tensa, estão ambos vinculados de alguma forma a Netuno, planeta que rege as névoas, as nuvens, os enganos, o ilimitado (a floresta amazônica sem fronteiras definidas). Ambos, Netuno e Saturno, formam quadraturas a Júpiter, o grande amplificador, mostrando que tudo que adviesse da relação tensa Netuno-Saturno seria magnificado e exagerado.

No mapa de uma decolagem, a casa 1 pode indicar o caráter do evento, ou seja, a viagem em si. Com Saturno, um maléfico essencial em mau estado cósmico (exilado, na casa 6 e tensionado) e com Netuno tão destacado como chave para a compreensão da natureza daquela viagem, em que podemos pensar? Erro humano é a primeira hipótese, mas há também a possibilidade de que o desvio de rota do jatinho escondesse algo mais. Não esquecer que o escorregadio Netuno está na casa 12, daquilo que não se quer mostrar - ou que não se consegue enxergar.

Na cúspide da casa 11, a Lua acaba de deixar para trás uma conjunção com Plutão, o senhor do mundo dos mortos, e avança para uma quadratura com Vênus na casa 8 (que também significa a morte, entre outras possibilidades). Vênus rege a casa 4, do resultado final da situação, e a 9, das grandes distâncias e do estrangeiro. Apesar de considerado um planeta essencialmente benéfico, nesta carta Vênus não faz jus a tal status, tendo em vista sua condição de planeta em queda (Virgem), conjunto ao Nodo Sul (efeito restritivo) e na casa 8, sempre temida pelos astrólogos antigos.

Em resumo: a Lua, que sempre é uma indicadora de ação em mapas de eventos, caminha para um aspecto tenso com planeta em mau estado cósmico numa casa relacionada à morte. Não é, certamente, uma indicação favorável. Contudo, o que torna este mapa particularmente dramático encontra-se em outra parte. O Ascendente da partida do Legacy encontra-se em 24º17' de Aquário. Considerando a velha tradição dos graus simbólicos, que atribui uma imagem sugestiva para cada grau do zodíaco, encontramos as seguintes descrições para a posição deste Ascendente:

Volosfera - Um homem de olhar sombrio, uma expressão de raiva furiosa em todo o corpo, bate os pés, agitando um punhal; sua fronte está golpeada por um rastro de sangue. Ele vira as costas para uma grande construção triste (prisão ou asilo), onde todas as janelas têm barras e onde uma mão entreabre a pesada porta.

Calendário Tebaico - Um homem manejando um dardo.

Trata-se de uma impressionante evocação de violência e de agressão (o dardo, o punhal, a fúria), deixando claro o papel que o jatinho Legacy teria na tragédia.

O Boeing da Gol só deixou o aeroporto de Manaus às 14h35, hora local (15h35, hora de Brasília), cinco minutos depois do horário marcado. As posições planetárias nos signos são quase idênticas às da carta da partida do Legacy, mas as cúspides das casas apresentam uma diferença de alguns graus para menos, com relação ao mapa da decolagem do jatinho da Embraer. Isso faz com que a oposição Saturno-Netuno, que na carta do Legacy encontra-se no eixo 6-12, passe agora para o eixo Ascendente-Descendente, o que lhe dá um papel muito mais decisivo. O Ascendente simboliza aquilo que está sendo iniciado e corporificado. Na partida do Boeing de Manaus, o que se corporifica é o risco de um grande engano (Netuno) de avaliação que impediu a percepção correta da posição de um "inimigo oculto" (Saturno na 7 regendo a 12).

Decolagem do vôo Gol 1907 - 29.09.2006, 15h35 -04:00 - Manaus, AM - 03s08, 60w01.

O choque entre as duas aeronaves ocorre em algum momento logo após 16h58, quando se deu o último contato do Boeing com a torre. No dia seguinte, a tendência mais forte entre os analistas era considerar que o choque pudesse ter ocorrido no espaço aéreo do município de Jacareacanga, no sul do Pará, por volta das 17h. Daí até o desfecho final devem ter-se passado poucos minutos, tempo suficiente para o avião cruzar a fronteira do Mato Grosso e espatifar-se na área de uma fazenda perto do município de Peixoto de Azevedo.

Carta estimada do choque entre as duas aeronaves - 29.9.2006, 17h (-04:00)
Jacareacanga, PA - 6s30, 57w28.

Este novo mapa põe a nu o potencial de risco presente nos mapas anteriores. Agora o Ascendente avançou para o final de Peixes, opondo-se a Vênus - exatamente aquela Vênus que no mapa da decolagem do Boeing ocupava a casa 8 e recebia a quadratura da Lua. Na carta do acidente, a quadratura acabou de acontecer: a Lua marcha agora para mudar de signo sem formar qualquer novo aspecto, indicando uma situação já decidida, irremediável.

Lua e Plutão estão agora enquadrando o Meio-Céu. Os nodos estão no eixo Ascendente-Descendente. Júpiter, plantado no Meio-Céu da decolagem do avião da Gol, recebe agora todo o impacto das quadraturas de Netuno e Saturno em plena casa 8 - a da morte.

Outro dado relevante (melhor compreendido no artigo de Vicente Gigli) é o fato de que a região da queda da aeronave situa-se na área de sombra do eclipse parcial solar de 22 de setembro. Mais impressionante: a quadratura Lua-Vênus do momento do choque ativa por conjunção e quadratura o eclipse de 22 de setembro! Os aspectos são praticamente exatos, mostrando como a utilização dos mapas de eclipses dá uma chave preciosa para a compreensão dos eventos que se desdobram nas semanas posteriores.

Está explicado porque o acidente do vôo 1907 foi o mais terrível da história da aviação brasileira? Temos de admitir que ainda não. Outros vôos foram iniciados em horários e aeroportos próximos, com mapas muito semelhantes, e nada aconteceu de notável. Além do mais, pouquíssimos astrólogos olhariam para os três mapas aqui analisados e "veriam" as configurações de um desastre com 155 mortos. Para entender é preciso ir um pouco mais além.

O resto da história:

O mapa da Gol, a empresa da barrinha de cereal, por Fernando Fernandes
A Astrocartografia e o acidente do vôo Gol 1907, por Vicente Gigli



Atalhos de Constelar 100 - Outubro/2006 | Voltar à capa desta edição |

Fernando Fernandes - O acidente do vôo Gol 1907 | Um Boeing na Floresta | O mapa da Gol, a empresa da barrinha de cereal |
Vicente Gigli - Aplicando técnicas de Astrolocalização | O acidente na Astrocartografia |
Fernando Fernandes - Astrologia e Preconceito | As sete inverdades mais comuns | Os astrólogos de vida dupla de Recife |
Raul V. Martinez - Astrologia e pesquisa histórica | O Grito do Ipiranga com precisão de GPS |
Carlos Hollanda - Astrologia básica | Após os 30 anos o Ascendente fica mais forte? |

Edição anterior:

Fernando Fernandes - Dossiê Plutão | A menina que batizou um planeta | Pluto, o cão de Mickey Mouse | O mapa do planeta anão |
Carlos Hollanda - Dossiê Plutão | Plutão não é mais planeta... e daí? | O medo do monstro sob a cama |
Antonio Carlos Harres - Dossiê Plutão | Brigar com anões dá azar |
Maurice Jacoel - Dossiê Plutão Limpeza de órbita e limpeza étnica |
Renata Lins - Os tempos de Saturno e Urano | Chronos e Kairós |
Antonio Carlos Harres - Coluna do Bola | Xena virou Éris, a deusa da discórdia |


Cadastre seu e-mail e receba em primeira mão os avisos de atualização do site!
2013, Terra do Juremá Comunicação Ltda. Direitos autorais protegidos.
Reprodução proibida sem autorização dos autores.
Constelar Home Mapas do Brasil Tambores de América Escola Astroletiva